Tamanho do texto

O resultado fraco de um índice de atividade do setor de serviços dos EUA e o desempenho abaixo do previsto das vendas de varejistas em novembro pesaram sobre o mercado de ações norte-americano, particularmente sobre os papéis da American Express e da Costco, um dia antes da divulgação de um aguardado indicador sobre a situação do mercado de trabalho do país. No início da sessão, o Instituto para Gestão de Oferta (ISM) anunciou que seu índice sobre a atividade do setor de serviços dos EUA caiu a 48,7 em novembro, de 50,6 em outubro, contrariando a previsão dos economistas, que esperavam aumento do índice para 51,5.

A leitura, abaixo de 50, indica contração do setor.

Além disso, as vendas do setor varejista norte-americano aumentaram 0,5% em novembro, de acordo com a Thomson Reuters. O resultado foi melhor do que a queda de 7,8% registrada no mesmo mês do ano passado, mas ficou bastante abaixo da projeção dos analistas, que era de crescimento de 2,1%. Os dados mantiveram os índices próximos da estabilidade durante a maior parte da sessão, mas no final do dia as ações cederam e mergulharam no território negativo. Segundo operadores, embora os indicadores sejam fracos de forma geral, a análise dos números levou em consideração principalmente o contexto da divulgação dos dados sobre o desemprego nos EUA, na sexta-feira.

O Dow Jones caiu 86,53 pontos, ou 0,83%, para 10.366,15 pontos, pressionado principalmente por um declínio de 5,29% nos papéis da American Express, que reagiu à perspectiva fraca para os gastos dos consumidores após os dados do ISM. As varejistas também apresentaram perdas acentuadas. A Costco caiu 3%, a Macy's recuou 3%, e a Target perdeu 2,9%.

Entre os demais índices, o Nasdaq recuou 11,89 pontos, ou 0,54%, para 2.173,14 pontos. O S&P 500 fechou em baixa de 9,32 pontos, ou 0,84%, para 1.099,92 pontos, com os componentes do setor financeiro registrando o pior desempenho após o presidente do Federal Reserve de Saint Louis, James Bullard, afirmar que a ideia de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) não elevará os juros enquanto o desemprego estiver crescendo precisa ser revisada.

A fraqueza nas ações do setor financeiro e de consumo preocupa alguns operadores, que as consideram mais vulneráveis a um eventual retrocesso econômico. "Os papéis de consumo podem simplesmente receber uma martelada", disse Gerald Buetow, executivo-chefe de investimentos da Innealta Portfolio Advisors. "Ainda não estamos fora de perigo".

O volume negociado na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse, na sigla em inglês) somou 1,133 bilhão de ações, de 1,032 bilhão de papéis ontem. No Nasdaq, o volume alcançou 1,964 bilhão de ações, de 2,025 bilhões de papéis ontem; 873 ações subiram e 1.830 caíram. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.