Caixa Econômica Federal arrow-options
Agencia Brasil
Caixa Econômica Federal

O presidente da Caixa Econômica Federal , Pedro Guimarães, disse nesta quinta-feira que o banco está se preparando para iniciar o pagamento do voucher no valor de R$ 200 para trabalhadores informais — medida anunciada na quarta-feira pelo governo.

Além do crédito em conta para quem é correntista ou tem poupança, o dinheiro poderá ser sacado nas lotéricas, nos terminais, correspondentes e correspondentes bancários e nas agências.

Hospital confirma quinta morte pelo coronavírus em São Paulo

Guimarães destacou os beneficiados não poderão receber outros benefícios do governo, como bolsa família por exemplo e que serão utilizados cadastros da Caixa e do INSS para identificar quem receberá o auxílio.

— Mais de 30 milhões de informais serão pagos majoritariamente pela Caixa. Como faremos isso? nas agências, lotéricas, correspondente bancário e também on-line.

Governo de São Paulo suspende conta de água para baixa renda

A Caixa está a serviço da população brasileira. Sabemos que serão dias, semanas e meses intensos. Queremos ajudar o máximo possível — disse Guimaraes.

Ele mencionou que o governo decidiu pelo voucher há apenas dias e que está conversando com a equipe econômica sobre os detalhes da medida. Havendo uima definição rápida, disse, a Caixa poderá iniciar os pagamentos no próximo mês.

Quem vai receber o voucher?

A Caixa Econômica Federal tem 26 mil postos de atendimento. De acordo com o ministro Paulo Guedes, todos já estão sendo preparados.

"O interessado no voucher vai se apresentar e dizer o nome e dar alguma identificação. O atendente checará se o nome já consta como beneficiário do Bolsa Família ou do BPC (Benefício de Prestação Continuada). Se não estiver recebendo nada, estará habilitado para receber o voucher e já recebe o dinheiro”, diz Guedes.

E como será possível prevenir fraudes?

“O pessoal da Caixa será treinado. Teremos alguma checagem que vai permitir identificar quem se inscreveu e não deveria receber. Não é primeiro programa de renda universal nem renda básica, como alguns erroneamente disseram. O Brasil não tem condição de dar dinheiro para todo mundo agora. Não vamos dar dinheiro para ricos. No 2º mês em que as pessoas forem receber na Caixa, já terá sido realizada uma checagem adicional. Aí, quem se inscreveu sem ter direito não receberá mais”, explica o ministro.

    Veja Também

      Mostrar mais