Brasil Econômico

Presidente Jair Bolsonaro assina decreto que extingue horário de verão
Marcos Corrêa/PR
Bolsonaro revogou decreto criado em 1931, que instituia o horário de verão brasileiro



O presidente Jair Bolsonaro (PSL) assinou, nesta quinta-feira (25), o decreto que acaba com o horário de verão brasileiro . Segundo ele, além de não atender mais à sua função principal, que era economizar energia, o fim da mudança de horário vai aumentar a produtividades dos trabalhadores.

"Eu sempre reclamei do horário e tive a oportunidade agora [de assinar o decreto], atendendo às pesquisas que nós fizemos que mais de 70% de população não é favorável ao horário de verão . Esperemos que dê certo. Não tem nada a ver com economia de energia. E, não mais mexendo no relógio biológico, a produtividade do trabalhador aumentará", explicou o presidente durante a cerimônia de assinatura, no Palácio do Planalto.

A fala de Bolsonaro vai de acordo com estudos técnicos feitos pelo governo, que apontaramque o adiantamento de uma hora nos relógios já não gera mais impacto positivo na economia brasileira .

Em discurso durante o evento, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque , declarou que a alteração no horário “não mais se justificava do ponto de vista do setor elétrico” e apontou que muitas demandas haviam sido apresentadas nesse sentido por todas as instâncias da União.

Leia também: Só há recursos para bancar o Minha Casa Minha Vida até junho, diz ministro

"Estudos anteriores foram aprofundados e novos foram desenvolvidos, com o propósito de avaliar de forma bastante criteriosa os efeitos desse instrumento (…) Por se tratar de uma política pública relevante, não poderia prescindir de embasamento técnico apurado", declarou Albuquerque.

Segundo dados do Ministério de Minas e Energia, no último horário de verão, que aconteceu entre o final do ano passado e o inícío deste ano, não foi registrada economia de energia . Estudos apontam que a alteração nos relógios vem apresentando menores resultados desde 2013, quando foram poupados R$ 405 milhões. Nos anos seguintes, a economia como resultado da mudança de horário passou a cair. Em 2014, R$ 278 milhões foram economizados, número que passou para R$ 162 milhões em 2015, e apenas R$ 147,5 milhões em 2016.

Histórico 

O ministro lembrou que, criado em 1931, o objetivo do horário de verão era aumentar o aproveitamento da luz natural, mas que houve mudança no perfil de consumo de energia por conta das evoluções tecnológicas. 

Agora, com mudanças de hábitos, como novos horários de trabalho e o uso maior do ar-condicionado, o impacto do horário de verão na redução de consumo de energia é muito menor do que antigamente.

Leia também: Brasil precisa investir 4,7% do PIB em infraestrutura para atingir média global

Com o decreto, o horário de verão fica totalmente extinto no Brasil — não apenas para 2020, como havia sido divulgado anteriormente. Caso o governo decida voltar com a medida, precisará editar um novo decreto.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários