Tamanho do texto

Ao todo, 1.602 funções de confiança e 3.087 cargos de direção serão extintos pelo governo; desde o início de 2015, houve redução de 30% nos postos

Dyogo Oliveira diz que governo planeja a conversão de 10,4 mil cargos de livre provimento
Marcelo Camargo / Agência Brasil
Dyogo Oliveira diz que governo planeja a conversão de 10,4 mil cargos de livre provimento

Dyogo Oliveira, ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, anunciou nesta quinta-feira (29) a extinção de 4.689 cargos em comissão e funções de confiança no governo federal até julho de 2017, em decorrência da reforma administrativa. A estimativa é que sejam economizados R$ 240 milhões por ano com os cortes.

+ Pagar aluguel ficou 7,17% mais caro ao consumidor brasileiro, segundo a FGV

Ao todo, 1.602 funções de confiança e 3.087 cargos de direção serão extintos pelo governo . Desde o início de 2015, foi registrada a redução de 30% de postos nos ministérios, de acordo com Oliveira. Algumas funções já foram desocupadas, enquanto outras serão extintas de forma gradual, em 1º de janeiro, 31 de março e, por último, em 31 de julho do ano que vem.

“Os [cargos] com prazo [de extinção] até março e julho estarão ocupados até esse prazo, porque a transição do serviço público não dá para simplesmente tirar imediatamente as pessoas da função. O órgão tem que reestruturar a equipe para não haver descontinuidade dos serviços. Em alguns casos demos um prazo até julho para que haja a desocupação dos cargos”, explicou.

+ INSS quer nova MP para revisar aposentadoria por invalidez e auxílio-doença

Oliveira afirmou que também é planejada a conversão de 10,4 mil cargos de livre provimento. Nesse processo, funções que atualmente podem ser ocupadas por pessoas que não tenham vínculo com a administração pública passarão a ser exclusivas de servidores contratados por concurso público.

“O ganho disso é a melhoria na qualidade do serviço público e a redução da descontinuidade [do serviço] por trocas de pessoas que são de fora do governo e não permanecem nos quadros com o passar do tempo. Já completamos 74% das conversões previstas e dentro dos próximos meses acreditamos que teremos feito todas essas 10 mil conversões”, disse.

+ Queima de estoque pode ajudar a minimizar o impacto negativo das vendas de Natal

O anúncio desta quinta-feira representa o último passo da reforma administrativa promovida pelo governo de Michel Temer. Além da redução de pessoal, a reforma também incluiu a extinção de seis ministérios no mês de maio. Depois dos cortes, os ministérios que registraram a maior extinção de cargos foram os da Agricultura, com 339, do Planejamento, com 313, e o da Saúde, com menos 240 funções.

*Com informações da Agência Brasil