Tamanho do texto

Existe a possibilidade de encerramento de 45.022 postos de trabalho devido ao fim dos incentivos; 52,6% destas empresas devem ser fechadas no Estado

39,5% das indústrias no Rio devem fechar de madeira definitiva
Arquivo/Agência Brasil
39,5% das indústrias no Rio devem fechar de madeira definitiva

O encerramento dos incentivos fiscais às indústrias do Rio de Janeiro causa riscos de demissões em 89,6% delas. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (5), durante o seminário "O Rio Precisa de Incentivos – incentivar a indústria é incentivar o Rio", organizado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) e pela seccional fluminense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ).

+ Cresce a intenção de compra de presentes no Natal, aponta Hello Research

Existe a possibilidade de fechamento de 45.022 postos de trabalho devido ao fim dos incentivos, de acordo com a pesquisa. Para chegar ao resultado, foram ouvidas 199 indústrias que recebem incentivos em todo o Estado.

Segundo a Firjan, sem desconto nos impostos, mais da metade destas empresas (52,6%) deverão fechar suas portas no Estado. Além disso, 60,5% delas devem ir embora do Rio de Janeiro, enquanto outras 39,5% devem fechar de madeira definitiva. 

A pesquisa também prevê a intenção destas empresas de cancelar R$ 42 bilhões de investimentos programados por elas para os próximos três anos, caso os incentivos fiscais sejam realmente cancelados.

+ Reformas fiscais não serão suficientes para retomar crescimento, diz Ipea

Falência das empresas no Brasil

Entre os meses de janeiro e novembro deste ano, houve aumento de 3,9% no número de pedidos de falência no País. Foram 1.718 solicitações no acumulado de 2016 até novembro, ante 1.654 em igual período no ano de 2015. As micro e pequenas empresas lideraram os pedidos, com 914 solicitações, seguidas das grandes empresas (410) e das médias (394).

Apesar disso, considerando o acumulado do ano, o número sofreu redução de 12,5%. Ao todo, foram 678 registros de falência entre os meses de janeiro a novembro de 2016, contra 775 em igual período de 2015. As micro e pequenas empresas lideraram o número de falências decretadas (458) seguidas das médias (155) e das grandes (65).

Sobre o seminário

O seminário "O Rio Precisa de Incentivos" foi aberto pelo presidente da Firjan, Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira,  juntamente com o presidente da Comissão de Assuntos Tributários da OAB-RJ, Mauricio Faro.

+ Para Meirelles economia saiu da UTI, mas ainda está em fase de recuperação

Os deputados estaduais Luiz Paulo (PSDB), presidente da Comissão de Tributação e Controle da Assembleia Legislativa, Pedro Fernandes (PMDB), presidente da Comissão de Orçamento e Finanças da Alerj, e o promotor Vinicius Leal Cavalleiro, do Ministério Público Estadual (MP-RJ) também participam do seminário que trata a situação das indústrias no Estado.

*Com informações da Agência Brasil