Brasil Econômico

undefined
Marcos Santos/ USP IMAGENS
No acumulado de janeiro a outubro de 2016, as devoluções de cheques chegaram a 2,36%

Os  cheques devolvidos por falta de fundos representaram 2,5% do total de documentos compensados no mês de outubro, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos. Esse foi o nível mais elevado para o mês de outubro e o terceiro maior da série histórica iniciada há 25 anos.

+ Oi quer pagar R$ 11 bilhões da dívida com Anatel por meio de investimentos

Este é um dos maiores volumes de devolução da série histórica, ficando abaixo apenas do registrado em março deste ano (2,66%) e em novembro do ano passado (2,61%). Ao todo, de 47.802.370 foram devolvidos 1.204.402 cheques compensados. 

No acumulado de janeiro a outubro de 2016, as devoluções chegaram a 2,36%. Os maiores índices de inadimplência foram verificados no Amapá, que atingiu a taxa de 16,98%. São Paulo, por sua vez, apresentou o patamar mais baixo (1,8%).

De acordo com análise dos economistas da Serasa Experian, este resultado foi registrado por conta da recessão econômica – que mantém o desemprego em alta –, das taxas de juros e também da “perda do poder de compra da população por causa da inflação ainda em patamar elevado”.

Regiões

Considerando o acumulado do ano, a região Nordeste foi a que registrou a taxa mais elevada, com 4,63%, enquanto o Sudeste vem na contramão, com a taxa mais baixa, de 1,94%. No Norte, o índice atingiu 4,44% e no Centro-Oeste chegou a 2,04%. No Sul, ficou em 2,04%.

+ Telebrasil pede ao governo redução da carga tributária na telecomunicação

No mês de outubro, a Região Norte ficou na liderança, com 4,66% ante 4,18% em setembro e 4,25% em outubro do ano passado. Este aumento aconteceu, principalmente, devido às dificuldades de pagamento dos consumidores do Amapá, onde foram devolvidos 16,54% dos documentos compensados. Na sequência aparecem Acre (7,96%), Roraima (7,97%), Amazonas (6,14%);, Tocantins (5,79%), Pará (5,57%) e Rondônia (2,21%).

A devolução em outubro no Nordeste chegou a 5,16% do total de documentos compensados. Maranhão foi o destaque, com 9,31%. Na sequência vem Piauí (6,98%) e Rio Grande do Norte (6,22%).

A taxa de devolução no Sudeste ficou em 2,07% – patamar superior ao registrado em setembro (1,8%) e acima do registrado em outubro do ano passado (1,74%). O Espírito Santo liderou o ranking com 2,6%.

+ Pezão quer antecipar receitas do petróleo novamente para pagar dívidas do Rio

No Sul, 2,11% dos documentos foram devolvidos. A maior variação foi registrada no Rio Grande do Sul (2,22%). No Centro-Oeste, houve a devolução de 3,22% dos cheques compensados, com destaque para o Distrito Federal, que registrou 3,83%.

*Com informações da Agência Brasil

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários