Brasil Econômico

undefined
iStock
PIB terá retração de 3,40% em 2016, afirmar analistas consultados pelo Banco Central

O Boletim Focus do Banco Central (BC) Divulgado nesta segunda-feira (21) apontou que os analistas de mercado estimam que a inflação para este ano seja maior que a prevista anteriormente e a queda do Produto Interno Bruto (PIB) também. As projeções para 2017 também continuam baixas, já que a estimativa é que a expansão da economia brasileira seja fraca no próximo ano.

+ Mercado financeiro diminui projeção da inflação para 6,89%

O Banco Central apontou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ao longo de 2016, recuou de 6,84% para 6,80%. Mesmo com a leve queda, o indicador está acima do teto da meta que é de 6,5% e bem longe do objetivo fixado para o ano, que é de 4,5%.

Para o próximo ano, a previsão é de estabilização do indicador, fazendo com que a inflação fique em torno de 4,93%. Se as previsões se concretizarem, a inflação ficará abaixo do teto de 6% para o IPCA, mas acima da meta do Banco Central que é 4,5%. O órgão tem reafirmado seus esforços em fazer com que o IPCA fique em 6,5% e ficar na meta de 4,5% em 2017.

+ PIB fecha segundo trimestre com queda de 0,6%; recuo no ano é de 4,6%

Produto Interno Bruto

Já a previsão para o PIB de 2016 é que ele encolha 3,40%. Há 15 dias, a previsão de retração era de 3,37%.  Segundo a série histórica do IBGE, iniciada em 1948, essa será a primeira vez que o Brasil registrará dois anos seguidos de retração em sua atividade econômica.

A previsão do PIB para 2017 – segundo os analistas de mercado – também apresentou recuo, passando de crescimento de 1,13% para 1%. O governo estima que o Produto Interno Bruto de 2017 tenha alta de 1,6%.

Taxa de juros

A taxa de juros, segundo os especialistas, fechará 2016 em 13,75%. Atualmente a Selic está em 14% ao ano.  Para eles, em breve, será anunciada uma nova redução.  Para o ano que vem, a estimativa é ousada, já que é esperado que a Selic fique em 10,75% ano.  Essa perspectiva foi à única que se manteve nos últimos 15 dias. Para a divulgação do Boletim Focus, o Banco Central ouviu mais de 100 instituições financeiras.

+ Revisado, crescimento do PIB de 2014 chega a 0,5% e atinge R$ 5,8 trilhões

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários