Tamanho do texto

Planejar as finanças pessoais não é tão complicado assim, mas requer dedicação e até privações. Corte gastos e comece 2017 com as contas em dia

Planilhas podem te ajudar a  conseguir cumprir metas financeiras e sair do vermelho
iStoc
Planilhas podem te ajudar a conseguir cumprir metas financeiras e sair do vermelho

A crise econômica, o desemprego e descontrole dos gastos mensais são os fatores que elevam o endividamento e a inadimplência do consumidor. Para evitar que esses fatos tirem o seu sono, ter um planejamento de suas finanças pessoais  é palavra de ordem. Dados do Serasa Experian apontam que mais de 40% da população economicamente ativa, ou seja, 59,3 milhões de brasileiros estão com contas vencidas.

+ Cinco aplicativos para manter as finanças pessoais sob controle

Uma boa alternativa neste momento é empregar o valor do 13ª salário para saldar as parcelas atrasadas. Outro ponto importante neste momento de descontrole financeiro é fugir das tentações de final de ano, já que neste período a compra de presentes para amigo secreto e de Natal para familiares pode elevar a dívida. Planejar as finanças pessoais não é tão complicado assim, mas requer dedicação e até privações. Abaixo algumas dicas que podem ajudar a sair do vermelho e começar 2017 com tudo em ordem.  

1 - Faça seu orçamento

Anote todas as receitas e despesas previstas para o mês, incluindo aí um valor para imprevistos. Tenha em mente o que é prioridade e o que é supérfluo para facilitar o controle de gastos.

2 - Conheça sua dívida

Saber exatamente para quem e o que está devendo é primordial para dar a devida prioridade ao pagamento. Por exemplo, uma empresa que pode cortar o serviço prestado em caso de inadimplência, exige rápida quitação. Além disso, é importante checar qual o valor de juros e multas cobrados para quem paga depois do vencimento.

3 - Controle ou corte seus gastos

Depois de conhecer a dívida, o ideal é colocar em ação um plano para controlar e cortar os gastos de acordo com as prioridades. Buscar outras fontes de renda e adiar a compra do que não é essencial são opções com grandes chances de sucesso.

4 - Busque alternativas de crédito

Aqui, o conselho é trocar dívidas de juros altos por mais baratos e com prazos maiores. No mercado, existem diversas fontes de renda, como o crédito consignado e o com garantia de imóvel, que têm prazos extensos e juros mais baixos. O consumidor pode trocar sua dívida de um crédito pessoal ou cartão de crédito por essas alternativas e, dessa forma, concentra todos os déficits em um único, ficando mais fácil controlar as finanças pessoais.

5 - Negocie

Seus credores têm interesse em dar um desconto nas multas e juros desde que você mostre a eles a intenção de realmente quitar as dívidas. Portanto, negocie. Medidas simples e muito controle ajudam a ter as finanças pessoais sempre em dia.

+ Serasa Experian promove Feirão Limpa Nome em novembro; saiba dias e locais

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.