Tamanho do texto

As fraudes acontecem pelo uso de empresas de fachada, nos paraísos fiscais, onde contribuintes podem estar refaturando as mercadorias. Entenda

Com a  fiscalização da Receita, já foram identificadas diversas empresas brasileiras que cometem fraudes
Reprodução
Com a fiscalização da Receita, já foram identificadas diversas empresas brasileiras que cometem fraudes

A Receita Federal deu início a uma série de fiscalizações nas empresas exportadoras do Estado de São Paulo, já que existem suspeitas de evasão de dívidas do País. O órgão anunciou nesta terça-feira (04) que os autos de infração podem alcançar – e, até mesmo, superar – quantias de R$ 8 bilhões.

As fraudes  podem estar acontecendo, de acordo com a Receita, pelo uso de empresas de fachada, nos paraísos fiscais, onde tais contribuintes conseguem fazer um esquema de refaturamento das mercadorias que deixaram o território brasileiro  com o valor, em reais, reduzido de maneira artificial. Dessa maneira, a manobra fraudulenta acaba permitindo que os valores, que deveriam retornar ao País, sejam desviados para esses outros locais.

A instituição também explicou nesta terça que as empresas de fachada estão situadas nos paraísos fiscais e são vinculadas ao exportador brasileiro (que pode ser o mesmo sócio ou o   grupo econômico).

Recolhimento de impostos

Além disso, o mecanismo fraudulento também diminui, de maneira indevida, a receita das empresas que se utilizam dele. Assim, com essa queda na receita, a base de cálculo do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL) também seria diminuída.

+ PF apreende carros de luxo em operação contra fraudes em fundos de pensão

Tudo isso seria possível, ainda de acordo com a auditora fiscal Márcia Meng, delegada da Delegacia Especial de Maiores Contribuintes de São Paulo, porque as legislações que tratam da tributação de lucros no exterior e do preço de transferência têm eficácia bastante prejudicada pela artificialidade do esquema, sendo construídas para a aplicação em transações reais e de boa-fé.

Com a série de fiscalização, já foram identificadas diversas empresas brasileiras que usam esse tipo de fraude. Depois da identificação, elas serão investigadas nos próximos meses.

+ Veja cinco maneiras de evitar roubos e fraudes na sua empresa

Caso as irregularidades e fraudes sejam comprovados, as companhias deverão ser autuadas, a fim de passarem pela cobrança de impostos devidos, que devem estar acrescidos de multas e juros, além do pagamento de outras penalidades administrativas cabíveis. Conforme o caso, as empresas e seus administradores também poderão ficar sujeitos a sanções no âmbito penal pelos crimes de sonegação fiscal, falsidade ideológica, evasão de divisas e lavagem de dinheiro, segundo a Receita Federal.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.