Tamanho do texto

Levando em consideração apenas os meses de agosto, no entanto, este foi o que apresentou pior resultado desde 1991, quando o levantamento começou

No acumulado dos oito primeiros meses do ano, índice de cheques devolvidos chegou a 2,36%
Marcos Santos/ USP IMAGENS
No acumulado dos oito primeiros meses do ano, índice de cheques devolvidos chegou a 2,36%

Do total de cheques emitidos em agosto, 2,18% foram devolvidos por falta de fundos. Esse percentual representa o patamar mais reduzido desde o mês de setembro de 2015, de acordo com uma pesquisa feita pelo Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos. Em julho, a taxa havia sido de 2,26%. Em comparação com o mesmo período no ano passado, o resultado tinha atingido 2,11%.

LEIA:  Temer diz a investidores que estabilidade política permitirá reformas

Levando em consideração apenas os meses de agosto, este foi o que demonstrou o pior resultado desde 1991, quando o levantamento teve início. No total, houve a compensação de 50.602.130 cheques , sendo que 1.101.093 precisaram ser devolvidos porque os correntistas não fizeram a provisão necessária para assegurar o pagamento.

No acumulado dos oito primeiros meses do ano, o índice chegou a 2,36%, a mais alta de toda a série histórica. A maior proporção de devoluções acontece no Estado do Amapá aparece, com o total de 17,79%. Considerando somente agosto, o Estado registrou 16,16%, contra 17,31%, de julho. No mesmo mês do ano passado, as devoluções no Amapá representaram 10,53% do total de compensados.

Regiões

A menor taxa na avaliação dos resultados acumulados entre janeiro e agosto foi registrada em no Estado de São Paulo, com 1,79%. Por região, o Nordeste fica na frente, com 4,59%. O Sudeste registrou 1,94% de devoluções. 

LEIA MAIS:  Avianca Brasil anuncia oferta de Wi-Fi durante voos domésticos

A região Norte teve 4,19% de devoluções no mês, contra os 4,16% registrados em julho, e 3,99% no mesmo período em 2015. No Nordeste, a taxa chegou ao patamar de 4,30%, também permanecendo abaixo do mês anterior, que havia registrado 4,56%. Entretanto, a taxa foi superior à variação de agosto do ano passado, que foi de 4,16%.

No Sudeste, o índice chegou a 1,79%, ficando abaixo menor do mês de julho, que fechou 1,86%. Em comparação ao mesmo mês de 2015, no entanto (1.68%), a taxa foi superior. Na região Sul, foi devolvido 1,84%, resultado mais baixo do que aqueles registrados tanto no mês de julho (1,91%) quanto em agosto do ano passado (1,94%).

LEIA TAMBÉM:  MPF processa Google por publicidade ilegal no Youtube

De acordo com economistas da Serasa Experian, os resutlados de agosto no indicador que avalia o uso dos cheques evidenciam a tentativa do consumidor de sair de uma situação de inadimplência, “reduzindo seu nível de consumo e renegociando dívidas”.

*Com informações da Agência Brasil