Brasil Econômico

undefined
Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas
Resultado da inflação medida pelo IPC-S mostra alta de 4,89% no ano, ou 8,37% nos últimos 12 meses

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) deste domingo (31), anunciado nesta segunda-feira (1º) mostra uma variação de 0,37%, ou seja, 0,01 ponto percentual acima da média registrada na última divulgação do dado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Nesta divulgação, quatro das oito apresentaram acréscimo nas suas taxas de variação, sendo que o grupo de transportes apresentou a maior alta. Vale destacar que a gasolina foi um item de destaque, puxando a alta da inflação medida pelo IPC-S, já que sua taxa foi de -0,88% para 0,22%.

O resultado desta semana revela alta de 4,89% no ano, ou 8,37% nos últimos 12 meses. Para a apuração, são avaliadas oito classes de despesa. Nesta segunda-feira também foi anunciado o Boletim Focus, que apontou a  quarta queda consecutiva na previsão da inflação medida pelo IPCA para 2016 e 2017. 

Outros grupos que apresentaram acréscimo em sua variação são Saúde e Cuidados Pessoas (variando de 0,68% para 0,85%), Vestuário (indo de -0,15% para 0,18%), Comunicação (com pequena variação de 0,15% para 0,17%).

Avaliando os artigos dos grupos que apresentaram alta, vale destacar os itens de higiene e cuidado pessoal (1,20% para 2,14%), roupas (-0,43% para -0,01%) e a mensalidade para internet (0,14% para 0,88%).

Grupos e itens que tiveram queda

Por outro lado, os quatro grupos que tiveram decréscimo em suas taxas de variação foram Alimentação, com queda de 0,71% para 0,39%; Educação, Leitura e Recreação, que teve pequeno decréscimo na taxa de 0,72% para 0,71%, além de Despesas Diversas com queda de 0,64% para 0,49%.

Nestas classes de despesa, os itens que mais ajudaram na variação negativa foram hortaliças e legumes, com queda de -6,71% para -12,13%; passagens aéreas, com variação de 12,29% para 3,71% e os alimentos para animais domésticos, que tiveram decréscimo na taxa de 2,79% para 1,12%.

LEIA MAIS:  Taxa de desemprego sobe para 11,3% no segundo trimestre e é a maior desde 2012

O oitavo grupo analisado, que é Habitação, repetiu a variação encontrada na última apuração, sendo 0,14%. As principais influências em sentido ascendente e descendente partiram dos itens: mão de obra para reparos em residência (0,26% para 1,57%) e tarifa de eletricidade residencial (-1,22% para -1,88%), respectivamente.

A próxima apuração do IPC-S, com dados coletados até o dia 7 de agosto, será divulgada na próxima segunda-feira, 8 de agosto.

O que é IPC-S

O IPC-S registra a evolução de preços de maneira quadrissemanal, ou seja, de quatro em quatro semanas.  Este indicador avaliado pelo FGV tem como objetivo mostrar o custo de vida das famílias brasileiras com com renda mensal entre um e 33 salários mínimos, residentes em capitais do País: São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife e Brasília.

Além disso, a inflação medida pelo IPC-S serve para os reajustes salariais e contratos de aluguel. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários