Brasil Econômico

undefined
Agência Brasil
A pesquisa da cesta básica considerou variações nos grupos de alimentação, limpeza e higiene pessoal

O mês de junho trouxe a quinta alta consecutiva do ano no preço da cesta básica no Estado de São Paulo, segundo mostrou a pesquisa do Procon-SP nesta segunda-feira (18). O levantamento feito em convênio com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) revelou que a cesta básica em 30 de junho tinha custo médio de R$702,89 – ante R$678,44 no fim do mês de maio.

Para o levantamento da cesta básica , a pesquisa considerou as variações nos grupos de alimentação (4,78%), limpeza, (-3,85) e higiene pessoal (-3,28%).  Ao levantar itens que pressionaram o aumento dos preços, o feijão carioquinha apareceu novamente como o grande “vilão”, que subiu 84,17% entre maio e junho. Em 31 de maio, o quilo do grão custava R$ 5,56 e em 30 de junho, R$ 10,24.

O feijão é seguido pelo leite UHT, com 18,77% e o queijo muçarela fatiado, com 13,25%.

No ano, com base de cálculo em 30 de dezembro de 2015, a variação é de 8,78%.

LEIA MAIS: Cesta básica: especialistas ensinam a driblar a alta dos principais produtos

A pesquisa realizada pelo Procon-SP observou os preços de 39 produtos para o cálculo da variação mensal. Do total, 20 apresentaram alta, 18 diminuíram de preço e um permaneceu igual.

No período de 1 a 30/6/16, os produtos que mais subiram foram:

Feijão carioquinha (kg): 84,17%

Leite UHT (litro): 18,77%

Queijo muçarela fatiado (kg): 13,25%

Batata (kg): 11,47%

Ovos brancos (dúzia): 10,94%

As maiores quedas foram:

Cebola (kg):  -38,98%

Papel higiênico fino branco (com quatro unidades):  -10,97%

Sabão em pó (kg):  -5,82%

Água sanitária (litro): -5,39%

Biscoito água e sal (pacote 200g): -3,77%

Metodologia

A Pesquisa Cesta Básica Procon/Dieese é efetuada desde de 1990, a partir do perfil de uma família paulistana traçado com base na Pesquisa de Orçamento Familiar de São Paulo (POF/IBGE) e das Pesquisas de Consumo Alimentar no Município de São Paulo (DIEESE), o que resultou na definição de 31 produtos: 22 de alimentação, quatro de limpeza doméstica e cinco de higiene pessoal. Entretanto, com a mudança do perfil da família ao longo desses anos, sentiu-se a necessidade de atualizar o nosso levantamento tomando-se como referência a Pesquisa de Orçamento Familiar de São Paulo (POF/IBGE) 2008/2009, o que acarretou no acréscimo de oito novos produtos. Dessa forma, a Cesta Básica Procon/Dieese a partir de 2016 contempla 39 produtos (28 de alimentação, seis de limpeza doméstica e cinco de higiene pessoal).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários