Agência Brasil

undefined
Thinkstock/Getty Images
A dívida pública federal passou de R$ 2,799 trilhões em abril para R$ 2,878 trilhões em maio

A Dívida Pública Federal (DPF) apresentou aumento, em termos nominas, de 2,82% em maio na comparação com abril, ao passar de R$ 2,799 trilhões para R$ 2,878 trilhões. Os dados, que incluem o endividamento interno e externo, foram divulgados nesta segunda-feira (27) pelo Tesouro Nacional.

O endividamento do Tesouro pode ocorrer por meio da oferta de títulos públicos em leilões, pela internet (Tesouro Direto) ou pela emissão direta. Outro fator de elevação pode ocorrer devido à assinatura de contratos de empréstimo. No mês de maio, as emissões da DPF  corresponderam a R$ 55,80 bilhões, enquanto os resgates alcançaram R$ 11,48 bilhões, resultando em emissão líquida de R$ 44,32 bilhões.  Naquele mês, o economista-chefe do Banco Santander no Brasil chegou a comparar a DPF ao "Titanic". 

Dívida Pública Federal Interna 

A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) teve o estoque ampliado em 2,77% ao passar de R$ 2,670 trilhões para R$ 2,744 trilhões. A DPMFi é a dívida pública federal interna em circulação no mercado nacional.

Dívida Pública Federal Externa

Com relação ao estoque da Dívida Pública Federal Externa (DPFe), houve aumento de 3,94% na comparação com o resultado do mês anterior, chegando a R$ 134,70 bilhões, equivalentes a US$ 37,47 bilhões. Desse total, R$ 122,42 bilhões (US$ 34,05 bilhões) referem-se à dívida mobiliária (títulos), e R$ 12,28 bilhões (US$ 3,42 bilhões), à dívida contratual.

LEIA MAIS: Estimativa para inflação em 2016 sobe pela 6ª vez seguida, chegando a 7,29%

DPFe é a Dívida Pública Federal existente no mercado internacional paga em outras moedas. De acordo com o Tesouro Nacional, a variação da DPFe deveu-se principalmente pela valorização do real em relação as moedas que compõem o estoque da dívida externa.

De acordo com o Plano Anual de Financiamento (PAF), o governo estima a Dívida Pública Federal , em 2016, entre R$ 3,1 trilhões e R$ 3,3 trilhões.

LEIA MAIS: Com cena política melhor, câmbio pode baixar, diz ex-diretor do Banco Central

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários