Tamanho do texto

MPT propôs execução após acionar empresa em 2015; outro processo pede indenização por danos morais coletivos

Pelo descumprimento da liminar concedida, MPT propôs a execução provisória contra empresa
Reprodução/Facebook Kepler Weber
Pelo descumprimento da liminar concedida, MPT propôs a execução provisória contra empresa

Após milhares de descumprimentos de jornadas dos funcionários, a Kepler Weber Industrial S.A pode ser multada em R$ 18,3 milhões. Segundo informações do Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Sul, a produtora de silos de Panambi teria sido acionada pelo órgão regulatório por irregularidades em maio de 2015, tendo de corrigi-las até dezembro do mesmo ano.

Pelo descumprimento da liminar concedida, o Ministério Público do Trabalho (MPT) em Santo Ângelo propôs a execução provisória contra a Kepler Weber ao pagamento da multa milionária, referente a 4.587 infrações, contadas até dezembro de 2015. De acordo com o órgão, foram 4.378 descumprimentos do limite de 2 horas extras diárias; 92, do intervalo interjornada; 70, do descanso semanal remunerado; e 47, do trabalho em domingos e feriados sem prévia autorização da autoridade competente.

A execução corre em paralelo à ação civil pública ajuizada, em que o MPT requer, além da confirmação dos efeitos da liminar, a condenação da empresa ao pagamento de indenização por danos morais coletivos no valor de R$ 1,5 milhão.

O iG tentou contato com a empresa em diversos canais, mas não obteve retorno até o fechamento da matéria.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.