Tamanho do texto

Após incêndio em navio, em junho de 2013, tripulantes permaneceram confinados sem condições básicas por 4 dias

O autor da ação teria permanecido confinado por quatro dias sob condições precárias de saúde, higiene e segurança
Reprodução/Facebook
O autor da ação teria permanecido confinado por quatro dias sob condições precárias de saúde, higiene e segurança

A companhia de cruzeiros Pullmantur Cruises Ship Management deverá indenizar por danos morais um garçom contratado em Curitiba por condições insalubres em um navio. O autor da ação teria permanecido confinado por quatro dias sob condições precárias de saúde, higiene e segurança. A 2ª Turma do TRT-PR decidiu o pagamento de R$ 50 mil.

Segundo consta no processo, durante uma viagem entre Ravena e Veneza, em junho de 2013, o navio foi atingido por um incêndio e a embarcação ficou 14 horas à deriva, antes de ser rebocada pela guarda costeira e atracada próximo ao porto de Veneza. Os passageiros desembarcaram, porém os 600 tripulantes teriam permanecido no navio com racionamento de comida, banheiros entupidos, sem energia elétrica, água corrente e ventilação.

Para a 2ª Turma, as condições impostas ao trabalhador justificam o pedido de reparação por danos morais, preenchendo "todos os requisitos - ato ilícito, dano e nexo causal - inteligência dos artigos 5º, X, da Constituição Federal e 186 do Código Civil".

O iG entrou em contato com a empresa, mas não obteve retorno até o fechamento dessa matéria. 

*Com informações do CSJT

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.