Tamanho do texto

De acordo com a Febraban, 672 milhões de documentos foram compensados no ano passado; em 1995 foram 3,3 bilhões

A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) informou que o número de cheques compensados no Brasil caiu 79,84% em 2015 na comparação com 1995. Vinte anos atrás foram registradas 3,3 bilhões de compensações de cheques, enquanto no ano passado foram apenas 672 milhões.

Evolução de alternativas de pagamento ao documento de papel pressionaram as compensações
Marcos Santos/ USP IMAGENS
Evolução de alternativas de pagamento ao documento de papel pressionaram as compensações

Na divulgação feita nesta segunda-feira (18) também foi mostrado que houve queda na comparação com o ano anterior, quando houve redução de 11,09%, com 755,8 milhões de documentos em todo o País.

As estatísticas, que têm como base a Compe - Serviço de Compensação de Cheques, revelam que o cliente bancário tem deixado, cada vez mais, de usar cheques, e optado por outros meios de pagamento, em especial as transferências eletrônicas.

A queda do número de cheques compensados no período ocorreu num momento de grande expansão do número de contas correntes no País. Segundo pesquisa da Febraban, o total de contas correntes saltou de 39 milhões para 108 milhões no mesmo período de duas décadas. “Os números revelam que o cliente bancário tem acompanhado a evolução tecnológica dos meios de pagamento digitais no Brasil, que crescem exponencialmente a cada ano”, avalia Walter de Faria, diretor adjunto de operações da federação.

Evolução online

Levantamento com sete das principais instituições financeiras do País (Banco do Brasil, Banrisul, Bradesco, Caixa, HSBC, Itaú e Santander) revelou que as operações bancárias realizadas por internet banking e mobile banking responderam por 58,5% do total das operações realizadas no sistema bancário no primeiro semestre de 2015. No final de 2014, as operações por estes canais digitais somaram 50% do total.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas