Tamanho do texto

Substituto de Nelson Barbosa no Ministério do Planejamento ressalta importância de reforma fiscal para metas do governo

Simão:
Arquivo/Agência Brasil
Simão: "Ajuste na gestão não é suficiente para buscar equilíbrio fiscal"

O novo ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Valdir Simão, disse que vai continuar o trabalho de melhoria da gestão e excelência no uso dos recursos da União, mas que a busca na qualidade dos gastos públicos não será suficiente para o alcance do reequilíbrio fiscal. Segundo ele, a reforma fiscal é necessária para que os resultados buscados pelo governo possam ser alcançados.

"O ajuste na gestão não é suficiente para buscar equilíbrio fiscal. A reforma fiscal é importante e o ministério do Planejamento contribuirá", defendeu. Simão, que até hoje comandava a Controladoria-Geral da União (CGU), assume o cargo de Nelson Barbosa, que foi deslocado pela presidente Dilma para o Ministério da Fazenda no lugar de Joaquim Levy.

O ministro do Planejamento disse que “não há boa gestão sem controle” e que, para isso, vai contar com a ajuda da CGU. “Apesar de grande desafio, tenho convicção que temos ferramentas, pessoas e tecnologia para que possamos fazer um trabalho de qualidade em prol do serviço público brasileiro e cidadão”, disse.

Para o ministro da Fazenda, o País precisa avançar mais nas medidas de controle de crescimento dos chamados gastos obrigatórios, principalmente com relação aos gastos com a Previdência. Ele prometeu que será enviada uma proposta de reforma do setor em 2016 e o governo vai trabalhar para a sua aprovação no ano que vem.

Segundo Barbosa, por meio do controle da despesa será possível construir resultados primários necessários: Primeiro a estabilização e depois a diminuição da dívida pública. O substituto de Levy defendeu ainda medidas regulatórias e de desburocratização do investimento privado para melhorar o funcionamento da economia brasileira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas