Tamanho do texto

Procon-RJ recebeu denúncias de preços mais altos em estabelecimentos que retiravam produtos das prateleiras

Há denúncias de que farmácias estão escondendo repelentes para vendê-los por preços mais altos
Divulgação
Há denúncias de que farmácias estão escondendo repelentes para vendê-los por preços mais altos

Uma fiscalização do Procon do Rio de Janeiro nesta quarta-feira (16) flagrou uma drogaria na Zona Sul da cidade escondendo repelentes e os comercializando de maneira irregular. A autarquia já vinha recebendo denúncias de que algumas farmácias estão escondendo o produto – que vem sendo muito procurado por causa das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti – para vendê-lo por um preço mais alto.

O caso ocorreu na Drogaria Raia da rua Muniz Barreto, no bairro de Botafogo, onde os fiscais encontraram 8 frascos do repelente Super Repelex na parte de baixo de um balcão. O farmacêutica presente afirmou que não havia repelente na loja e que os produtos guardados não eram para venda, pois eram provenientes de furtos em outras drogarias.  Apesar disso, no relatório de venda constava a realização de pelo menos quatro saídas do repelente, uma delas presenciada pelos fiscais. A farmacêutica foi então encaminhada à 10ª DP (Botafogo) para a abertura de um inquérito.

A Operação Predador autuou 11 farmácias e determinou o fechamento de uma delas, em Copacabana, que não tinha nenhum farmacêutico presente. Os outros estabelecimentos foram autuados por motivos diversos que variaram de falta de farmacêuticos plantonistas aos domingos até ausência de preços em produtos expostos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas