Tamanho do texto

Ministro da Fazenda afirmou que o governo está na direção certa e citou exemplos de rápida recuperação do País

Apesar das dificuldades na retomada do crescimento, o ano de 2016 tem potencial de recuperação, disse o ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Segundo ele, o governo está na direção certa, e o país mostrou, em outras ocasiões, capacidade rápida de recuperação e de lidar com problemas estruturais e políticos.

Joaquim Levy
José Cruz/Agência Brasil - 23.10.15
Joaquim Levy

Levy deu as declarações em teleconferência com investidores do Banco Brasil Plural na quinta-feira (3) à tarde. O áudio, no entanto, só foi divulgado nesta sexta-feira (4) pela assessoria do Ministério da Fazenda.

Para Levy, grande parte da oscilação do câmbio neste ano decorre das incertezas de curto prazo, muitas delas políticas. Segundo ele, somente o enfrentamento dessas incertezas dará mais confiança ao investidor estrangeiro.

Sem entrar em detalhes, o ministro disse que as investigações de escândalos de corrupção, apesar de provocarem impacto no curto prazo, trazem benefícios para o país mais à frente. “Acredito que estamos deixando o país ainda mais atrativo aos investimentos no médio prazo. No curto prazo vamos focar nos problemas que temos agora e sairemos disso melhor do que antes”, destacou o ministro.

Levy pediu que os investidores pensem de forma mais estrutural e ressaltou que o governo está tomando medidas para melhorar a competitividade, o ambiente regulatório e dar mais segurança aos investidores, como a reforma do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins).

Ao falar sobre como o governo conseguirá manter os gastos com educação em meio à crise econômica, o ministro disse que o governo está alcançando um fluxo sustentável de pagamentos de programas como o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Segundo ele, o governo está empenhado em atrelar a concessão de bolsas a índices de qualidade e verificar se o dinheiro está sendo gasto com eficiência.

“Estamos convergindo para um fluxo sustentável, mas tem que ser sério em como esse dinheiro é gasto. Continuamos focados em índices de qualidade tanto dos estudantes quanto das instituições”, disse Levy. “Esse é o tipo de programa que você tem de checar todo o tempo o que você está atingindo com o gasto público? Essa é cada vez mais a estratégia do governo brasileiro”, acrescentou.