Tamanho do texto

Trajetória de Jessica Alba como empresária de produtos para bebê traz várias lições para quem quer empreender online, como a ideia de que negócio não é fuga da crise ou plano B

Em 2012, Jessica Alba tinha uma bem-sucedida carreira no cinema, estrelando filmes como “Quarteto Fantástico” e “Sin City - A Cidade do Pecado”. Considerada como uma das atrizes mais sensuais e bonitas de Hollywood, a estrela também contabilizava uma lucrativa carreira como modelo. Mesmo com todo esse sucesso financeiro, Jessica decidiu que era hora de estrear como empresária dona de um e-commerce de produtos de higiene e beleza, que também tem lojas físicas. E a inspiração dela para empreender não veio do desejo aumentar ainda mais a conta bancária, mas das fraldas e de outros itens que usava para cuidar dos filhos pequenos.


Ela teve a ideia de se tornar empresária quando estava grávida do segundo filho, a menina Haven. Na ocasião, ao consultar embalagens de produtos para bebês e grávidas, Jessica percebeu que vários deles continham produtos tóxicos em sua composição. Assim nascia The Honest Company, uma empresa que vende fraldas, lenços e sabonetes, entre outros itens, ecologicamente corretos e atóxicos. 

Leia também: Sócios faturam R$ 18 milhões vendendo vinhos pela internet

Hoje, pouco tempo depois, a empresa se tornou um negócio bilionário. Em agosto passado, a Honest Company recebeu um aporte de um fundo de investimentos de US$ 100 milhões, chegando com isso a um valor de mercado de US$ 1,7 bilhão (R$ 6,2 bilhões). 

Além da necessidade de se estar atento às oportunidades que aparecem no nosso cotidiano, a meteórica carreira de sucesso de Jessica como empresária traz outras lições para quem quer se tornar dono ou dona de um e-commerce lucrativo, como se pode ver a seguir.

1 – NÃO TRATE COMO PLANO B
Jessica não decidiu abrir uma empresa porque estava insatisfeita com seu trabalho ou em crise financeira, pelo contrário. Essa é uma ótima lição para quem vê o negócio próprio apenas como uma forma de tapar um buraco nas contas. Isso pode ser um erro se ficar restrito a essa necessidade provisória e não ao objetivo de ser um empresário de sucesso. Não espere o aperto para empreender. Faça isso porque você tem vocação e uma meta. 

Jessica fatura milhões como dona da The Honest Company
Getty Images
Jessica fatura milhões como dona da The Honest Company

2 – INVISTA NO QUE ACREDITA
Na hora de empreender, muitas pessoas escolhem o seu negócio apenas com o critério de atuar na área que pode gerar mais dinheiro. Mas essa não é uma garantia de total comprometimento que vai levar ao sucesso financeiro. O melhor mesmo é se apostar em algo que se acredita, como fez Jessica, que baseou seu negócio na ideia de que “tudo que nós tocamos ou nossa família – tudo dentro da nossa casa – tem que ser atóxico, eficaz, bonito de se olhar e acessível.”

3 – NÃO ESPERE QUE TE LEVEM A SÉRIO
Quando Jessica lançou sua empresa poucas pessoas levaram a sério o seu projeto. "As pessoas me viam apenas como uma garota de biquíni dando porrada nos filmes”, disse a atriz num evento de empreendedoras da revista Forbes, revelando o ceticismo que enfrentou. "Passei por três anos e meio de acenos condescendentes e tapinhas nas costas com frases como 'boa sorte' ou 'volte a apoiar causas' ou 'vá fazer um perfume'", completou. Essa lição mostra que é importante seguir em frente quando os outros não percebem a seriedade ou a grandeza do seu objetivo. 

4 - FIQUE ATENTO ÀS MUDANÇAS
A Honesty Company está totalmente inserida ao espírito dos tempos atuais, com o consumidor muito mais atento ao que consome, exigindo produtos que não agridem o meio ambiente e nem representam riscos a nossa saúde. Ao planejar o seu e-commerce, pesquise, procure descobrir e fique atento aos princípios que envolvem a decisão de compra do seu futuro cliente. Não aposte num negócio que já pode nascer velho. 

Veja também: Fuja da crise: comprar depois do dia 17 pode sair mais barato

5 - VENDA ALGO QUE VOCÊ COMPRARIA
Inspirado nos filhos de Jessica, os produtos que ela criou obedecem ao princípio de só vender algo que você próprio compraria. Do contrário, você vai acabar apostando em itens de baixa qualidade, mas de venda fácil. Isso pode gerar lucro imediato, mas limitar a longevidade do seu negócio.

    Leia tudo sobre: empreendedorismo
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.