Tamanho do texto

Ao todo, autarquia autou 24 lojas no recém inaugurado shopping Outlet Premium, além do estacionamento

Em nova ação da Operação Pré-Natal, realizada nesta segunda-feira, 16, o Procon do Rio de Janeiro autuou 24 lojas de um total de 33 fiscalizadas no shopping Outlet Premium, inaugurado há menos de um mês na Rodovia Washington Luiz em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A empresa GS Park Estacionamentos, que administra o estacionamento do centro comercial, também foi autuada. Havia vagas destinadas a idosos e deficientes sendo usadas para acomodar food trucks e mesas para seus consumidores. Os fiscais determinaram a desocupação da área.

Vagas destinadas a idosos e deficientes estavam sendo ocupadas por food trucks no estacionamento do Outlet Premium no Rio de Janeiro
Divulgação
Vagas destinadas a idosos e deficientes estavam sendo ocupadas por food trucks no estacionamento do Outlet Premium no Rio de Janeiro

Problemas relacionados à informação dos preços dos produtos expostos foram recorrentes na operação. Na Play Size, por exemplo, havia à vista apenas o preço da venda no atacado, induzindo o consumidor ao erro. Além disso, os fiscais encontraram produtos sem preço ou com o valor da parcela na compra à prazo em fonte maior do que a do preço à vista.

Nas duas lanchonetes do shopping vistoriadas nesta segunda-feira - Vivenda do Camarão e Bob's - não foram encontrados os certificados de potabilidade da água e de dedetização. Os fiscais deram um prazo de 15 dias para a apresentação desses documentos. No Bob's, também foram encontrados engradados de refrigerante em contato direto com o chão.

Os fiscais não encontraram irregularidades nas lojas Tip Top, AD, Nike, Levi's, Under Armour, Aleatory, Roncato e Timecenter. Iniciada este mês, a Operação Pré-Natal já autuou 69 estabelecimentos.

Balanço da Operação Pré-Natal

1 - Puket: Ausência do Livro de Reclamações.

2 - Planet Girls: Ausências do Código de Defesa do Consumidor e do Livro de Reclamações.

3 - Tent Beach: Ausência do Livro de Reclamações.

4 - Khelf Rio: Ausência do Código de Defesa do Consumidor e de preços nos produtos.

5 - Hering: Ausência do Código de Defesa do Consumidor, do cartaz do 151 e do Livro de Reclamações.

6 - Play Size: Ausência do Código de Defesa do Consumidor, do cartaz do 151 e do Livro de Reclamações. Na exposição de preços das mercadorias, só havia o preço de venda no atacado, induzindo o consumidor ao erro.

7 - Mahalo: Ausência do Código de Defesa do Consumidor e do Livro de Reclamações.

8 - Limits: Ausência do Código de Defesa do Consumidor e do Livro de Reclamações.

9 - Polo Wear: Ausência do Livro de Reclamações, do cartaz do 151 e de preços em mercadorias no interior da loja (blusas, calças, shorts e bermudas).

10 - Occhialeria: Ausência do Código de Defesa do Consumidor, do cartaz do 151 e do Livro de Reclamações.

11 - Marisol: Ausência do Código de Defesa do Consumidor, do cartaz do 151 e de preços em mercadorias no interior da loja.

12 - We Like Fashion: Ausência do Livro de Reclamações e de preços em mercadorias.

13 - CNS: Ausênca do Livro de Reclamações. Valor da parcela em fonte maior do que o preço à vista.

14 - Home & Cook: Ausência do Livro de Reclamações.

15 - Lacoste: Ausência do Código de Defesa do Consumidor, do cartaz do 151, do Livro de Reclamações e de preços na vitrine e no interior da loja.

16 - Calvin Klein: Ausência do Livro de Reclamações e de preços em produtos expostos na vitrine.

17 - Tommy Hilfiger: Ausência do Código de Defesa do Consumidor, do cartaz do 151 e do Livro de Reclamações.

18 - Marília Marques: Ausência do Livro de Reclamações.

19 - Brasilino Ótica: Ausência do Código de Defesa do Consumidor, do Livro de Reclamações e de preços nas mercadorias.

20 - Aramis: Ausência do Livro de Reclamações.

21 - Vivenda do Camarão: Ausência dos certificados de dedetização e de potabilidade da água. Os fiscais deram um prazo de 15 dias para a apresentação dos documentos.

22 - Bob's: Engradados de refrigerante em contato direto com o chão. Ausência dos certificados de dedetização e de potabilidade da água. Os fiscais deram um prazo de 15 dias para a apresentação dos documentos.

23 - GS Park Estacionamentos: Área de estacionamento destinada a idosos e deficientes sendo usada para acomodar food trucks. Os fiscais determinaram a desocupação da área.

24 - Wöllner: Ausência do Livro de Reclamações e do Código de Defesa do Consumidor.

25 - Polo USA: Ausência do Livro de Reclamações, do Código de Defesa do Consumidor e de preços nos produtos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.