Tamanho do texto

Empregados com mais de um ano de casa receberam cerca de R$ 320 milhões; pela venda, dono recebeu US$ 1,2 bilhão

O empresário Donald Friese veio de uma família pobre na zona rural da Pensilvânia
Divulgação
O empresário Donald Friese veio de uma família pobre na zona rural da Pensilvânia

Estados Unidos  - O empresário  americano Donald Friese, de 75 anos, antecipou o Natal para os seus 1.600 funcionários. Como legítimo Papai Noel, vendeu sua empresa de insumos para a indústria de vidro a um grupo irlandês e doou US$ 85 milhões (cerca de R$ 320 milhões) aos empregados com mais de um ano de casa, como forma de agradecimento. O valor mínimo recebido por cada um foi de US$ 5 mil (R$ 18 mil), mas houve quem embolsasse mais de US$ 1 milhão (R$ 3,7 milhões). Outro presente foi a garantia de manutenção do emprego de todos os funcionários pelos novos donos.

Pela venda, Friese recebeu US$ 1,2 bilhão em dinheiro e US$ 1 milhão em notas promissórias. “Não poderia construir tudo isso sem meus funcionários. Então, pensei que seria justo dividir com eles”, disse o empresário à revista ‘Forbes’.

Friese veio de família pobre da zonal rural da Pensilvânia. Três anos depois de deixar o Exército, se mudou para a Califórnia com apenas US$ 125 no bolso. Conseguiu um emprego na C.R. Laurance. À época, a receita anual era de US$ 240 mil. Conforme a empresa cresceu, ele subiu de posição e passou a comprar participação no negócio. Em 1997, comprou a metade que faltava. Atualmente, a C.R. Laurence distribui mais de 65 mil produtos para a indústria de vidro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.