Tamanho do texto

Contribuintes reclamam de instabilidade no sistema de geração de guia desde domingo, quando site entrou no ar

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, que participou do evento de divulgação de relatório da OCDE, defendeu mais uma vez o equilíbrio das contas públicas
Elza Fiuza/Agência Brasil - 4.11.2015
O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, que participou do evento de divulgação de relatório da OCDE, defendeu mais uma vez o equilíbrio das contas públicas

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, admitiu nesta quarta-feira (4) que pode ser preciso adiar o prazo para emitir e pagar a Guia Única do Simples Doméstico. O prazo para pagamento sem multa vence sexta-feira (6). O documento está disponível desde domingo (1°) no site do eSocial, mas a geração apresenta problemas há quatro dias consecutivos.

"A gente vai tomar todas as providências necessárias. Se for necessário adiar, a gente adia, porque é uma questão tecnológica", afirmou o ministro.

Segundo Levy, a decisão sobre uma possível  prorrogação depende do posicionamento do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), empresa pública de prestação de serviços em tecnologia. Mais cedo, a Receita Federal divulgou nota informando que aguardava uma posição definitiva do Serpro.

O ministro da Fazenda comentou o assunto ao sair da reunião da Câmara de Comércio Exterior (Camex), no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Até as 17h de terça-feira (3), conforme balanço da Receita, 134.740 guias haviam sido geradas, o equivalente a 13% do total. A expectativa do órgão era que a emissão melhorasse até a manhã de hoje, possibilitando a emissão da totalidade das guias até quinta, véspera do prazo final.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.