Tamanho do texto

Resultado da montadora alemão no terceiro trimestre coincide com momento de maior crise de credibilidade da marca

Polêmica em torno da fraude criada pela Volkswagen tem desdobramentos para outras empresas
AP
Polêmica em torno da fraude criada pela Volkswagen tem desdobramentos para outras empresas

A Volkswagen, primeira fabricante automobilística da Europa, registou uma perda líquida de quase € 1,7 bilhão (R$ 7,3 bilhões) no terceiro trimestre de 2015 devido às provisões feitas na sequência do escândalo da manipulação das emissões dos gases poluentes.

O resultado negativo do grupo alemão compara a queda aos lucros de € 2,9 bilhões (R$ 12,5 bilhões) alcançados no mesmo período de 2014.

Os resultados do terceiro trimestre coincidem com o escândalo de manipulação de emissões de gases poluentes, que foi tornado público no passado mês de setembro.

A Volkswagen informou hoje que o lucro líquido caiu 54,1%, entre janeiro e setembro, para os € 3,9 bilhões (R$ 16,8 bilhões), em comparação com o mesmo período de 2014.

Em setembro, a Volkswagen admitiu que ao menos 11 milhões de carros fabricados pela por ela estariam envolvidos no escândalo de violação de normas antipoluição. A fraude foi realizada intencionalmente na produção de carros a diesel, nos quais um sofisticado software foi criado e colocado para enganar os controles de emissões de poluentes nos Estados Unidos.

O caso fez com que as ações da empresa despencassem nas Bolsas de Valores mundiais e provocassem reações em organismos de controles ambientais de vários países. O escândalo só foi descoberto após meses de pressão da agência ambiental dos Estados Unidos, que ameaçou de proibir a empresa de vender de veículos leves a diesel em 2016 no país.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.