Tamanho do texto

Em resposta a tucano, ex-ministro da Fazenda admite quadro ruim para os próximos meses e diz que previsões feitas na campanha por Dilma foram fruto de avaliação equivocada

Notório por sua abordagem mais incisiva ao questionar convocados na CPI do BNDES, o deputado João Gualberto (PSDB-BA) não perdeu a chance com o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega. Ao pedir a palavra, o tucano foi para a ofensiva e conseguiu obter como resposta as falas mais claras do ex-ministro sobre o quadro recente da economia do país. Mantega afirmou que o PIB encolherá em 3% e que o desemprego vai aumentar.

Ex-ministro da Fazenda Guido Mantega diz que PIB será negativo e que o desemprego vai aumentar
Antonio Araújo/ Câmara dos Deputados - 27.10.15
Ex-ministro da Fazenda Guido Mantega diz que PIB será negativo e que o desemprego vai aumentar

Antes, Gualberto criticou o PT e o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), por suposta ação de ambos para blindar investigados e sabotar a CPI do BNDES. “A gente não pode convocar ninguém porque o PT e o Eduardo Cunha blindam tudo. Não podemos chamar ninguém aqui. Por isso que essa CPI não avança”, disse.

Ao voltar as baterias contra Mantega, o tucano questionou com ênfase. “Me esclareça que país é esse que o senhor deixou. O senhor foi demitido em plena campanha. Aí o senhor acha que fez um bom trabalho. Aquelas mentiras da presidente Dilma na sua reeleição tinham o aval do senhor?”, perguntou ele. “Ela estava enganada por vocês ou mentiu de propósito?”, acrescentou ele.

“Não fui demitido”, disse Mantega. “Já vinha me preparando para sair do governo porque fui o ministro mais longevo e tinha um sério problema na família. Então eu já tinha dito a ela (Dilma) que não ficaria caso ela fosse reeleita”, afirmou Mantega. “Não me sinto demitido porque ela sabia que eu sairia mesmo.”

“Também não estou afirmando que as coisas estão cor de rosa. Existem vários problemas aqui”, declarou Mantega, que reafirmou que 2015 é o pior ano para os países emergentes. “O principal problema é a falta de demanda no mercado internacional. Não tem para quem exportar. Secou a demanda”, diagnosticou o ex-ministro da Fazenda.

“Hoje estamos com inflação alta, estamos com déficit público. Mas se o senhor olhar no período recente, acumulamos uma série de vantagens que não vão se dispersar. Foi isso que tentei dizer”, disse Mantega. “Nesse ano o PIB vai ser negativo 3%, o que não é bom. O desemprego vai aumentar. Tudo isso temos consciência. Agora, periodicamente as economias passam por ajustes”, argumentou ele.

"Em relação às previsões que foram feitas no período eleitoral, houve enganos de todo mundo", disse Mantega. "Nos enganamos. Não vimos os problemas que estavam vindo pela frente. Que era a seca muito forte, que era a queda nos preços das commodities. Uma série de coisas", declarou o ex-ministro.

Assista ao depoimento do ex-ministro no vídeo abaixo:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.