Tamanho do texto

Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção indica uma redução dos negócios em relação ao mês de agosto

No acumulado desde janeiro, há uma retração de 11,4% e, nos últimos 12 meses, recuo de 10,2%.
Arquivo/Agência Brasil
No acumulado desde janeiro, há uma retração de 11,4% e, nos últimos 12 meses, recuo de 10,2%.

As vendas de materiais de construção no País caíram 16,8% em setembro, na comparação com igual mês do ano passado, e 2,3% sobre agosto último. No acumulado desde janeiro, há uma retração de 11,4% e, nos últimos 12 meses, recuo de 10,2%.

Os dados são da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) e indicam uma redução dos negócios em relação ao mês de agosto, quando foi registrado um crescimento de 4,11%.

“As vendas nos mercados imobiliário e de infraestrutura apresentaram quedas mais acentuadas, em decorrência das incertezas com a economia, que posterga a realização dos empreendimentos”, afirmou, por meio de nota, o presidente da Abramat,Walter Cover.

Segundo ele, além de um baixo desempenho em obras de casas populares vinculadas ao Projeto Minha Casa, Minha Vida , diminuiu principalmente a demanda nas lojas da rede varejista.

“O mercado do varejo, que nos últimos anos vinha crescendo a taxas bastante altas, também vem sofrendo por causa do aumento do desemprego, da renda e de restrições ao crédito”.

De acordo com Walter Cover , o país precisa concluir rápido os ajustes na economia para retomada do crescimento.

Embora reconheça que o dólar valorizado favorece o setor por meio da substituição de itens importados, o dirigente empresarial afirmou que faltam definições sobre a política cambial, de modo que se possa projetar os reais benefícios dessa mudança.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.