Tamanho do texto

Número de unidades fabricadas recua 42% e comercializadas, 32%, na comparação com mesmo mês de 2014, segundo setor

A produção de veículos caiu 42% em setembro na comparação com o mesmo mês de 2015 no Brasil, segundo dados divulgados nesta terça-feira (6) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). O resultado é o pior do ano, assim como o das vendas, que recuaram 32%.

Pátio de veículos da Volkswagen: número de veículos fabricados pelo setor caiu 42% em setembro
Lucas Lacaz Ruiz/Futura Press
Pátio de veículos da Volkswagen: número de veículos fabricados pelo setor caiu 42% em setembro

Entre veículos leves (como automóveis e comerciais leves) e caminhões, a indústria automobilística brasileira produziu pouco mais de 200 mil veículos em setembro, ante os quase 295 mil do mesmo mês de 2014. O numero de unidades licenciadas - medida utilizada pela Anfavea para monitorar as vendas - caiu de 301 mil para 174 mil.

Os recuos foram mais expressivos na categoria caminhões, que registraram quedas de 47% nos licenciamentos e 50,6% na produção. Entre os veículos leves, os recuos foram de 31,8% e 41,8%, respectivamente, segundo os dados da Anfavea.

Os resultados negativos de setembro mantêm o padrão de 2015. Os volumes vendas e licenciamento foram menores em todos os meses na comparação com 2014.

No acumulado dos oito primeiros meses do ano, as montadoras produziram 20% menos veículos em 2014 - 1,95 milhão contra 2,53 milhões - e venderam 23% menos - 1,9 milhão ante 2,38 milhões.

Emprego também tem pior desempenho

O número de pessoas empregadas na indústria automobilística também atingiu o pior resultado do ano em setembro. De acordo com a Anfavea, o emprego no setor recuou 8,27% na comparação com o mesmo período de 2014, para 117 mil vagas ocupadas.

Esse volume representa uma queda de cerca de 20% em comparação às 126 mil pessoas que, em dezembro de 2014, estavam empregadas no segmento de veículos em empresas filiadas à Anfavea.

Veja a lista dos carros mais vendidos em setembro


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.