Tamanho do texto

Menino de três anos foi alvo de ofensas. Presidente de empresa afirmou ter ficado "enojado" com a situação

O funcionário de uma empresa de marketing em Atlanta, na Geórgia, nos Estados Unidos, foi demitido depois de responder de forma racista a um comentário do mesmo tipo em uma foto com um menino negro publicada em seu perfil no Facebook. "Não sabia que você era dono de escravos", foi um dos comentários dos amigos de George Roth.

'Não sabia que você era dono de escravos', disse mulher em comentário racista em foto
Reprodução internet
'Não sabia que você era dono de escravos', disse mulher em comentário racista em foto

"Parte meu coração saber que Sydney e seu adorável filho Cayden foram submetidos a tanto ódio, ignorância e um comportamento desprezível", escreveu o presidente da empresa de marketing Polaris Michael da Graça Pinto em um comunicado neste fim de semana.

A imagem de George com o menino Cayden Jenkins, de 3 anos, foi publicada em meados de setembro deste ano e viralizou. Ao saber dos comentários racistas sobre a criança e que George respondeu a um amigo que perguntou como ele havia "arrumado um filho negro" dizendo que ele era "selvagem", o presidente o demitiu por estar "enojado".

No Twitter, internautas lançaram a hashtag #HisNameIsCayden em defesa do menino vítima de todo tipo de insultos e preconceitos. A mãe do menino, Sydney Shelton, agradeceu o apoio que recebeu tanto da empresa quanto de pessoas que nem conhecia. Cayden costumava ir ao escritório com a mãe quando saía da creche.

George deletou a imagem dele junto com Cayden do Facebook. Em entrevista na emissora "Fox", ele disse que está muito triste, pois foi tudo "tirado do contexto". "Fico muito triste não apenas comigo mesmo, mas com o personagem que foi criado a partir de comentários feitos por meus amigos", declarou neste domingo. "Sinto que não só Cayden foi vítimas, mas também eu por ter sido demitido", completou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.