Tamanho do texto

Período termina no fim do mês mas agência "irá avaliar a necessidade" de estendê-lo; procura foi baixa no início

O prazo para os clientes da Unimed Paulistana migrarem para outras operadoras do sistema, que terminaria no fim do mês, pode ser entendido, segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Em nota, o órgão informou que ao final dos 30 dias da portabilidade "irá avaliar a necessidade de ampliação do prazo" de portabilidade extraordinária, nome dado ao processo de transferência dos clientes da Paulistana outras Unimeds. A extensão está prevista em lei, diz a agência.

Posto da Unimed Fesp para receber beneficiários da Paulistana vazio na tarde do 1º dia de migração
Vitor Sorano/iG São Paulo
Posto da Unimed Fesp para receber beneficiários da Paulistana vazio na tarde do 1º dia de migração

As transferências tiveram início na quinta-feira (1º) , mas com baixa procura na Região Metropolitana de São Paulo, onde estão a maioria dos clientes da Paulistana. Os três postos de atendimento montados para receber esses beneficiários estavam praticamente vazios no fim da tarde do primeiro dia, e menos de 20 mudanças foram efetivadas.

Na sexta-feira (2), o volume aumentou. As ligações para a Central Nacional Unimed, uma das três operadoras que receberão os beneficiários da Paulistana na RMSP, saltaram para 2,7 mil, ante as 1,7 mil do dia anterior.

Com a portabilidade extraordinária, os clientes da Paulistana poderão migrar para outras operadoras do sistema sem ter de cumprir nova carência – que é o prazo mínimo a partir da adesão para ter direito a atendimento.

Os preços e as condições de cobertura – como os hospitais incluídos na rede de atendimento –, por outro lado, podem mudar, e variam de acordo com o plano escolhido pelo cliente. Moradores da RMSP – exceto de Guarulhos, Guarulhos, Mauá, ABC, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra e Vargem Grande Paulista – poderão migrar para a CNU, a Unimed Seguros ou a Unimed Fesp, e têm à disposição pelo menos quatro opções (veja tabela abaixo).

Os demais clientes devem procurar a Unimed do Brasil, que os encaminhará às cooperativas locais. Em todos os casos, um ano após a adesão, caso a ANS autorize, as novas cooperativas podem reajustar os planos em até 20%.

A transferência é permitida para os clientes que possuem planos individuais e coletivos com menos de 30 beneficiários. No final de agosto, às vésperas de ser obrigada a se desfazer da carteira, a Unimed Paulistana tinha cerca de 158 mil clientes nessa situação, de um total de 744 mil.

Entenda o caso

Com dificuldades financeiras desde 2009, a Unimed Paulistana foi obrigada no início do mês a se desfazer de sua carteira de clientes, vendendo-a a outra operadora. Caso isso tivesse acontecido, os beneficiários continuariam a pagar as mesmas mensalidades  e teriam a mesma rede de cobertura.

O prazo para a comercialização acabava na sexta-feira (2). Dois dias antes, entretanto, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) anunciou um acordo pelo qual o sistema Unimed absorveria todos os clientes de planos individuais/familiares e de coletivos com menos de 30 vidas – os demais estão sendo transferidos para outras operadoras, segundo a ANS.

O acordo teve participação de Ministério Público de São Paulo, Procon de São Paulo, Ministério Público Federal, ANS e Unimeds.

Como fazer a transferência

1. Entre em contato com a operadora para a qual deseja migrar ou vá a um dos postos de atendimento
Central Nacional Unimed  0800 94 25 888; www.centralnacionalunimed.com.br; rua Peixoto Gomide, 282, Cerqueira César. São Paulo. Estação de metrô mais próxima é a Trianon/Masp.

Unimed Seguros: 0800 020 78 55; www.segurosunimed.com.br; alameda Santos, 787, Cerqueira César, São Paulo. Estação de metrô mais próxima é a Brigadeiro.

Unimed Fesp: 0800 702 0400; www.unimedfesp.coop.br; rua José Getúlio, 78, Aclimação, São Paulo. Estação de metrô mais próxima é a Vergueiro.

Unimed do Brasil: (11) 3265-4000; www.unimed.coop.br

2. Escolha o plano

Na Região Metropolitana de São Paulo – exceto de Guarulhos, Guarulhos, Mauá, ABC, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra e Vargem Grande Paulista – , as operadoras têm de oferecer ao menos as quatro opções abaixo. Para os demais, não há uma lista mínima, mas os preços devem ser "justos", segundo o Procon-SP:

3. Assine o contrato e faça o pagamento do primeiro boleto

A partir daí, o cliente já pode utilizar o novo plano

Documentos necessários

Ao entrar em contato com a operadora, confira a lista de documentos que ela irá exigir – a Unimed Fesp, por exemplo. No mínimo, será necessário apresentar: CPF, RG, comprovante de endereço, comprovante de pagamento dos 4 últimos boletos, cartão da Unimed Paulistana (do titular e dependente, se houver) e cópia do cartão.

O beneficiário que tiver dificuldades ou dúvidas deve entrar em contato com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) pelo 0800 7019656 ou pelo site www.ans.gov.br.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.