Tamanho do texto

Taxa de desemprego atingiu 8,6% no período de maio a julho deste ano, um aumento comparado à análise anterior (7,4%)

Desemprego atingiu maior nível para o período desde 2012 segundo índice Pnad
BBC
Desemprego atingiu maior nível para o período desde 2012 segundo índice Pnad

A taxa de desemprego no trimestre encerrado em julho atingiu o maior nível para o período desde 2012. Segundo dados do índice Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados nesta terça-feira (29), o desemprego atingiu 8,6% da população, representando uma alta em relação ao trimestre móvel anterior (7,4%). O trimestre analisado compreende os meses de maio, junho e julho de 2015. 

Segundo o IBGE, no período de maio a julho havia cerca de 8,6 milhões de pessoas desempregadas. No período anterior verificado (de fevereiro a abril) havia 8 milhões de desempregados. Na comparação com o mesmo período de 2014 (maio a julho), o aumento foi mais expressivo, pois a taxa era de 6,9%, quando o número de desocupados era de 6,8 milhões. Em um ano, portanto, houve um aumento de 22,6% no número de desempregados.

O número de pessoas empregadas foi estimado em 92,2 milhões e não apresentou variação significativa se comparado ao período de fevereiro a abril deste ano. Os trabalhadores do setor privado sofreram uma redução de 0,9% ante o mesmo período no trimestre de fevereiro a abril.

De acordo com os dados do IBGE, os empregados no setor privado com carteira de trabalho assinada tiveram redução de 0,9% em seus contingentes (menos 337 mil pessoas). Na comparação com igual trimestre do ano passado (maio a julho de 2014) a redução foi mais acentuada, 2,5%, em torno de 927 mil pessoas. Os empregadores e trabalhadores por conta própria, registraram 8,1% e 4,2%, respectivamente, de acréscimo em seus contingentes, frente ao trimestre de maio a julho de 2014.

Rendimento fica praticamente estável

O rendimento médio real (descontado a inflação) recebido em todas as atividades ficou em R$ 1.881, estável em relação ao trimestre de fevereiro a abril deste ano (R$ 1.897). Ele também se manteve estável ante o mesmo período em 2014 (R$ 1.844).

A massa de rendimento real recebido por empregados foi estimada em R$ 167,8 bilhões, não apresentando variação em relação trimestre de fevereiro a abril deste ano. Em relação ao mesmo período de 2014, houve alta de 2,4%.

Entenda a PNAD Contínua

A Pnad Contínua é o indicador de taxa de ocupação mais completo, pois é realizada em uma amostra expressiva de domicílios, que garante a representatividade dos resultados para os diversos níveis geográficos definidos.

A cada trimestre, a pesquisa investiga 211.344 domicílios particulares permanentes em aproximadamente 16 mil setores censitários, distribuídos em cerca de 3,5 mil municípios.

Segundo o IBGE, a pesquisa mais ampla e contínua "permite, portanto, um ganho considerável na precisão das estimativas, especialmente nas áreas rurais".

A Pnad Contínua é calculada para trimestres móveis e utiliza informações dos três últimos meses da pesquisa. A taxa do trimestre móvel terminado em julho de 2015 foi calculada a partir das informações coletadas em maio, junho e julho.