Tamanho do texto

Ministro da Fazenda vê com bons olhos aumento da contribuição externa e acredita em "virada" ainda em 2015

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse neste sábado (29) que o recuo de 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre não teve relação com o ajuste fiscal. Ele disse, inclusive, que já é possível ver uma virada da economia até o fim de 2015.

“Já estamos começando a ver a virada, se as coisas se tranquilizarem até o fim do ano vamos ver uma virada [no cenário econômico]", afirmou Levy.

Para ministro da Fazenda, alguns setores já estão reagindo e recessão não passará adiante em 2016
TV iG - 14.8.15
Para ministro da Fazenda, alguns setores já estão reagindo e recessão não passará adiante em 2016

Levy, que discursou em evento da BM&FBovespa em Campos de Jordão, no interior paulista, discorda, portanto, das previsões de mercado de que o PIB encolherá também em 2016, configurando dois anos seguidos de recessão.

O ministro voltou a dizer que o sacrifício do ajuste é necessário e depositou confiança nos resultados obtidos no que tange a um aumento da contribuição externa para o PIB. Para ele, este fato mostra que alguns setores já estão começando a imprimir alguma reação. 

“Com a mudança do câmbio e a liberação dos preços e realismo tarifário, estamos vendo em vários setores que os estoques estão acabando e acontece uma coisa curiosa, o estoque vai descendo, e a não ser que haja uma enorme confusão, as empresas começam a produzir de novo, a dar novas encomendas e comparar o preço nacional ao estrangeiro e comprar domesticamente", afirmou.

Com a queda de 1,9% no PIB do segundo trimestre, o Brasil entrou no estágio de recessão técnica. Esse é o termo utilizado quando um país apresenta seis meses seguidos de retração. No primeiro trimestre do ano, o País já tinha tido queda no PIB de 0,7%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.