Tamanho do texto

Melhor resultado foi 0,1% no terceiro trimestre de 2014, o que não é crescimento; nos últimos 3 meses, economia recuou 1,9%

O resultado do Produto Interno Bruto do segundo trimestre de 2015, divulgado nesta sexta-feira (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que a economia brasileira está há cinco trimestres consecutivos sem crescer.

De abril a junho de 2015, a soma das riquezas produzidas pelo Brasil caiu 1,9% em relação a janeiro, fevereiro e março, a maior queda desde o primeiro trimestre de 2009. Nos três primeiros meses deste ano, a economia caiu 0,7% em relação aos últimos meses de 2014.

Quase todos os indicadores econômicos estão em deterioração, ressalta porta-voz do IBGE
Thinkstock/Getty Images
Quase todos os indicadores econômicos estão em deterioração, ressalta porta-voz do IBGE

O segundo semestre do ano passado foi marcado por taxas estáveis. No quarto trimestre, não houve variação do PIB e, no terceiro, a economia variou positivamente 0,1%, o que não é considerado crescimento pelo IBGE.

Já no segundo trimestre de 2014, houve uma queda de 1,1% em relação ao trimestre imediatamente anterior, o último de crescimento da economia brasileira, que subiu 0,7%.

A coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca de La Rocque Palis, disse que todas as atividades econômicas foram afetadas.

"O PIB é a medida síntese da economia. Existe uma deterioração de praticamente todos os indicadores econômicos", destacou. "Existe uma turbulência política e indicadores econômicos fracos que estão tendo impacto importante sobre praticamente todas as atividades econômicas", acrescentou.

Na comparação com o mesmo período do ano passado, o PIB caiu 2,6%, quinta retração seguida nos números trimestrais e também a mais intensa desde o primeiro trimestre de 2009.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.