Tamanho do texto

Conselho que define o calendário prevê nova reunião para discutir assunto, mas chance de acordo é nula, segundo fonte

A liberação do abono do PIS/Pasep a todos os trabalhadores em 2015 está fora de cogitação, diz uma fonte do governo Dilma Rousseff (PT), embora o calendário de pagamentos vá continuar a ser discutido no Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat).

"Para este ano está fora de cogitação", disse a fonte sob condição de anonimato por não estar autorizada a comentar o resultado da reunião realizada nesta quarta-feira (26) pelo conselho.

O abono, no valor de um salário mínimo (R$ 788), é pago no segundo semestre de cada ano aos trabalhadores que ganham em média até dois salários mínimos por mês (R$ 1.476). Pela primeira vez desde 2000, entretanto, cerca de metade dos beneficiários só poderá sacar no ano seguinte, por pressão do governo federal.

Nesta quarta-feira (26), o Codefat, que estabelece o calendário de liberações, reuniu-se para discutir a possibilidade de voltar atrás e permitir os pagamentos todos em 2015, como pedem os representantes dos trabalhadores.

A área econômica, entretanto, já havia informado a queda na arrecadação não permitiria a mudança, como o iG adiantou . O argumento, segundo a fonte, é que a arrecadação despencou, inviabilizando a injeção de R$ 9 bilhões necessários para fazer todas as liberações ainda em 2015.

Segundo Quintino Severo, representante da Confederação Única dos Trabalhadores (CUT) no Codefat, o órgão se comprometeu a retomar a discussão sobre o calendário do abono salarial na próxima reunião, que deve ocorrer em dois meses - pouco antes, portanto, do fim do ano.

"Cada vez fica mais difícil [adiantar os pagamentos para 2015]", diz, sobre o prazo apertado. "[Mas] se houver uma negociação ampla, podemos chamar uma reunião extraordinária."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.