Tamanho do texto

Representantes de sindicatos de 20 países reuniram-se na Avenida Paulista e fizeram passeata contra irregularidades

Cerca de 1,3 mil representantes de sindicatos de trabalhadores de 20 países se reuniram na manhã desta terça-feira (18), no vão-livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), na Avenida Paulista, em ato de apoio às denúncias de empregados contra a rede de lanchonetes McDonald's. 

Reprodução
"McDonald's tem McEscravos", diz cartaz de manifestante na Avenida Paulista, nesta terça-feira (18)

De acordo com sindicalistas do Sinthoresp, que representa funcionários do setor de Fast-Food, a empresa tem descumprido em larga escala, e por todo o mundo, leis trabalhistas básicas. Em alguns casos, as irregularidades chegam a se enquadrar no que se entende hoje como situação análoga à escravidão. "O principal ponto é que verificamos que na empresa se tem se tem um modelo de irregularidades, se tem uma constatação de que isso ocorre em escala global", explicou Antônio Carlos Lacerda, gerente do departamento jurídico do Sinthoresp.

"[O Mc Donald's] É o pior exemplo de uma relação de trabalho, de descuidado na relação com o trabalhador, do Brasil. E, agora, como pudemos ver, do mundo", completou, listando uma série de irregularidades que vão da prática de salários abaixo do mínimo e do emprego de jovens em trabalhos considerados insalubres.

Na comitiva há representantes de Espanha, Itália, Alemanha, Bélgica, Reino Unido, Dinamarca, Nova Zelândia, Coreia do Sul, Japão, Filipinas, El Salvador, Colômbia, Argentina, Panamá, República Dominicana, Chile, Argentina, Estados Unidos e França.

Presentes na manifestação representantes dos Estados Unidos, Dinamarca, República Dominicana, Panamá, Alemanha, Inglaterra, Japão, Coréia do Sul, entre outros.

Posted by Sinthoresp on Terça, 18 de agosto de 2015

"Todos vão ouvir o eco sobre o trabalho escravo e o desrespeito do Mc Donald's. Nós não vamos recuar.Temos outros países nos apoiando porque eles exploram onde estão porque querem ganhar onde podem", disse o diretor jurídico da Nova Central Sindical, Elísio Ribeiro.

Procurada pela reportagem, a Arco Dourados, operadora do Mc Donald's na América Latina, esclareceu que tem convicção do cumprimento da legislação brasileira desde o início das operações no País, há 36 anos.

"A empresa tem orgulho de ser a porta de entrada de milhares de jovens no mercado de trabalho. Nossas práticas laborais são premiadas e reconhecidas pelo mercado. Foi pioneira na implementação do ponto eletrônico e recebeu o selo ‘Primeiro Emprego’ do Ministério do Trabalho", diz trecho da nota, que destacava o prêmio de 13ª Melhor Empresa para Trabalhar pelo Great Place to Work, recebido nesta segunda-feira (17).

Os participantes fizeram uma passeata até uma loja da rede de fast-food na Avenida Paulista. O manifesto ocorre paralelamente à um congresso, iniciado nesta segunda-feira (17), para discutir o assunto.

Já nesta quarta-feira (19), a comitiva parte para Brasília para participar de uma audiência pública, convocada pelo senador Paulo Paim (PT-RS).

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.