Tamanho do texto

Em audiência de conciliação no TRT, empresa tentou fazer acordo, que foi recusado pelo sindicato da classe

A primeira audiência de reconciliação entre a General Motors (GM) e o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos não terminou sem acordo. A empresa recusou a proposta de readmissão dos 798 funcionários demitidos, conforme recomendou o Ministério Público do trabalho, com base em um pedido dos sindicalistas.

Metalúrgicos da região de São José dos Campos estão em greve há uma semana
Divulgação
Metalúrgicos da região de São José dos Campos estão em greve há uma semana

A reunião ocorrida na tarde desta segunda-feira (17), no Tribunal Regional do Trabalho de Campinas, teve também a recusa por parte dos metalúrgicos no que diz respeito a uma proposta da GM: a montadora chegou a oferecer um salário-base para cada trabalhador demitido.

“A audiência de hoje foi um passo positivo em nossa luta para que as demissões sejam anuladas. Queremos também nos solidarizar com os companheiros da Volkswagen de Taubaté, que entraram hoje em greve. Defendemos a unificação da luta em defesa do emprego entre os trabalhadores de todas as montadoras”, afirma o presidente do Sindicato, Antônio Ferreira de Barros, o Macapá.

O sindicato pede a anulação fundamentado na jurisprudência que obriga a empresa a negociar com o sindicato da categoria antes de realizar demissões em massa. De acordo com a entidade, a GM demitiu a todos por telegrama, desde o último dia 8, sem qualquer negociação prévia. 

Já a GM disse entender que o diálogo é a melhor forma de resolver conflitos no sentido de encontrar alternativas para manter a competitividade do complexo de São José dos Campos. De acordo com comunicado emitido pela assessoria da empresa, a companhia tem feito todos os esforços para evitar o corte de empregados, incluindo férias coletivas, layoff, banco de horas e programas de desligamento voluntário. 

"A GM entende que a maioria dos empregados deseja voltar ao trabalho e lamentavelmente estão sendo impedidos pelo sindicato, em descumprimento à liminar da Justiça do trabalho de São José dos Campos que determinou o livre acesso ao complexo", diz trecho da nota enviada pela assessoria de imprensa

Diante do desacordo entre as partes, uma nova audiência foi marcada para a próxima sexta-feira (21), às 15h. Nesta segunda-feira, a greve dos metalúrgicos da GM completa uma semana – e não tem data para terminar. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.