Tamanho do texto

Segmento teve crescimento expressivo em produtoras independentes e grandes editoras, até com conteúdo erótico

O primeiro semestre de 2015 nunca foi tão bom para a área de "Artes" nas livrarias. O motivo foi o grande crescimento de publicações interativas. Neste grupo se encaixam os livros para colorir, uma febre desde dezembro do ano passado principalmente após o sucesso de "Jardim Secreto", da editora Sextante.

Lançado em dezembro de 2014,
Divulgação
Lançado em dezembro de 2014, "Jardim Secreto" foi o primeiro grande sucesso do segmento

A publicação pioneira vendeu mais de 1 milhão de exemplares, o que fez com que a editora desse continuidade no segmento. Em abril, foi lançado "Floresta Encantada", que acumula 650 mil vendas e, em junho, o título "Reino Animal" teve tiragem de 500 mil.

De acordo com a Saraiva, uma das maiores redes de livrarias do País, a onda de livros para colorir alavancou o setor acima das expectativas. Os primeiros meses do ano sempre apresentam um bom rendimento, mas a empresa se surpreendeu com a alta de 84% nas vendas.

Leia mais: “É desestressante e nostálgico”, diz autor sobre febre de livros para colorir

A tendência, ainda segundo a Saraiva, é de um esfriamento natural no lançamento desse tipo de livro neste segundo semestre devido à grande quantidade de títulos publicados nos seis primeiros meses do ano. Em junho, só a Sextante, por exemplo, lançou seis novas publicações para colorir. 

Livro vendeu 1ª tiragem em apenas um mês
Reprodução
Livro vendeu 1ª tiragem em apenas um mês

Para todos os gostos

Todo esse sucesso ampliou o leque de temáticas, que abriga de livros institucionais aos de conteúdo erótico, passando por relaxamento e insônia. A Bebel Books, produtora independente da empresária Bebel Abreu, foi uma das que surfou no sucesso do segmento. A aposta foi no conteúdo adulto (leia-se, erótico), com os dois volumes de "Surubas para colorir", que alcançou uma tiragem de 30 mil exemplares. 

"Foi realmente surpreendente. A primeira tiragem, de 1.800 exemplares, vendeu toda em um mês. Aí me foi pedido uma segunda leva, na qual já fiz o dobro e teve saída em cerca de um mês e meio. Depois veio a terceira, com mais 25 mil exemplares, que estão sendo comercializados agora", explicou Bebel, que produziu outras seis pequenas publicações neste ano. 

Outros destaques foram o religioso "Colorindo o Evangelho" (Boa Nova), que pretende passar os ensinamentos espíritas de Alan Kardec para o público infantil, e os de proposta relaxante como "O livro anti-insônia para colorir e relaxar" e "Sonhos para colorir" (L&PM).

Agregado

Na esteira do sucesso dos livros, outro setor conseguiu resultado expressivo nos primeiros seis meses do ano na Saraiva. A área de papelaria, da qual fazem parte todos os tipos de ferramentas para colorir, registrou crescimento de 22,5% – um aumento atípico para o período.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.