Tamanho do texto

Ex-funcionário de Citibank e UBS coordenava o esquema, diz a acusação; indicador é usado em empréstimos ao consumidor

Tom Hayes e a esposa, Sarah, chegam ao tribunal em Londres
Kirsty Wigglesworth/AP - 27.7.15
Tom Hayes e a esposa, Sarah, chegam ao tribunal em Londres

A Justiça britânica condenou nesta segunda-feira (3) um ex-operador do Citibank e do UBS a 14 anos de prisão após o juri o considerar culpado de comandar a manipulação a taxa de empréstimo interbancário de Londres ( Libor , na sigla em inglês).

O juiz Jeremy Cooke sentenciou Tom Hayes, de 35 anos, que se especializou em produtos atrelados à Libor denominada em yen, depois que jurados o consideraram culpado de manipular a taxa de 2006 a 2010. Hayes foi acusado de conspirar com outros operadores, mas ele alega ter sido transformado em bode espiatório de uma prática comum.

"O que este caso mostrou é a falta daquela integridade que deve caracterizar o sistema bancário", disse Cooke. "Você, como um bancário submetido à regulação, sucumbiu à tentação de uma atividade não reuglada porque você podia."

Leia também:

- Bancos recebem multas bilionárias por manipulação do mercado cambial

A Libor é uma taxa-chave que os bancos usam para fazer empréstimos entre si. A revelação de que ela foi manipulada chocou os mercados porque a taxa afeta o que muitas pessoas pagam quando tomam empréstimos, como um financiamento para compra de automóvel.

Hayes é o primeiro a ser condenado por um juri britânico por causa do escândalo.

O procurador Mukul Chawla disse que Hayes "comportou-se de uma maneira totalmente desonesta e manipuladora", e o definiu como o maestro que dizia aos outros o que fazer e os recompensava por seu "auxílio desonesto"

"A motivação é apenas uma: ganância", disse.

Hayes afirma que seus chefes sabiam o que ele estava fazendo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.