Tamanho do texto

Ministro disse que trabalha em conjunto com a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional para elevar arrecadação nacional

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, confia em recuperação da arreacadação  fiscal  para  gerar superávit forte no ano
Alan Sampaio / iG Brasília
O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, confia em recuperação da arreacadação fiscal para gerar superávit forte no ano

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse nesta sexta-feira (31) que acredita na recuperação do ambiente fiscal do governo no segundo semestre, diante da nova meta do superávit primário (economia para pagar juros da dívida pública), que foi reduzida para 0,15% do Produto Interno Bruto (PIB, a soma das riquezas produzidas no País).

A declaração foi feita em visita ao Complexo Industrial e Portuário do Pecém, na região metropolitana de Fortaleza, onde Levy fez palestra de encerramento do 21º Fórum Banco do Nordeste de Desenvolvimento. 

Leia mais:  Ajuste fiscal: O remédio pode matar o doente?

Receita Federal multa em R$ 2,4 bilhões envolvidos em fraudes fiscais

O ministro ressaltou que a equipe econômica do governo está empenhada em trabalhar forte para tanto e isso requer esforço. Levy salientou que a área técnica está tomando medidas, inclusive na área da arrecadação de receitas de grandes empresas. "Todo mundo sabe que, se a gente não cumprir o superávit primário, se não organizar a economia, a situação será mais difícil.” Segundo Levy, esse trabalho é feito em conjunto com a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional.

Uma arrecadação considerada “sensível”, e que mais vem caindo, é a do Imposto de Renda. A queda é justificada em parte, segundo ele, pela baixa perspectiva de lucro e pela diminuição da liquidez (facilidade de transformar os recursos disponíveis em retorno financeiro) das empresas.

“Essa não é uma consequência do ajuste fiscal, mas da dinâmica da economia. Isso é exatamente o que estamos combatendo e é por isso que é importante avançar no ajuste fiscal e em outras medidas para a gente voltar a crescer.”

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.