Tamanho do texto

Anac apontou 11 infrações e aplicou multas de R$ 230 mil por caso ocorrido em dezembro do ano passado em Foz do Iguaçu

Seis meses após a executiva Katya Hemelrijk da Silva se arrastar pelas escadas de uma aeronave da Gol – sem nenhum tipo de ajuda especial pelo fato de ela ser cadeirante – a companhia aérea e a Infraero foram multada em R$ 230 mil.

Prazo para recurso de Gol e Infraero é de 20 dias após recebimento das infrações
Divulgação
Prazo para recurso de Gol e Infraero é de 20 dias após recebimento das infrações

O valor é correspondente a 11 infrações aplicadas pela Agência Nacional de Aviação (Anac) pelo caso ocorrido em Foz do Iguaçu. O prazo para recuro é de 20 dias após o recebimento das infrações. 

Relembre o caso: Passageira cadeirante se arrasta para embarcar em voo no Paraná

Entre os erros cometidos no embarque de Katya pela Gol, a Anac destacou o desrespeito à prioridade de embarque da passageira, a não adoção de medidas para garantir a integridade física e moral dela e a não apresentação de provas capacitadoras da equipe do aeroporto.

Já a Infraero foi multada por não garantir a disponibilidade de informações sobre o tratamento de pessoas com necessidades especiais. Além disso, a Anac apontou também que o órgão não comprovou a manutenção de registro de trocas de informações com operadores aéreos e passageiros com deficiência.

Em nota, a Gol lamentou o caso. A companhia disse que não iria comentar a notificação, mas que está tomando todas as medidas possíveis para melhorar o atendimento ao público com necessidades especiais. Já a Infraero disse que aguarda notificação para qualquer posicionamento. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.