Tamanho do texto

O relator da matéria disse que preservará no seu texto a desoneração de quatro setores da economia: transportes, parte da cesta básica, comunicação social e os call centers

Levy:
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Levy: "O Brasil precisa se reequilibrar. A gente tem uma pauta estrutural para encontrar o nosso caminho de crescimento"

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, passou a manhã desta quarta-feira(17) na Câmara dos Deputados, em conversas com líderes partidários. Ele considera “imprescíndível” a votação ainda nesta quarta-feira do projeto de lei que trata da desoneração na folha de pagamento.

“É imprescindível ter essa votação hoje. O Brasil precisa se reequilibrar. A gente tem uma pauta estrutural para encontrar o nosso caminho de crescimento”, disse Levy que está reunido no gabinete da Liderança do PR. Após o encontro com os deputados do partido, o ministro segue para outra reunião no gabinete da Liderança do PP.

Na terça (16), o relator da matéria, Leonardo Piccinani (PMDB-RJ) disse que preservará no seu texto a desoneração de quatro setores da economia, por exemplo, transportes, parte da cesta básica, comunicação social e os call centers. Na ocasião, ele disse que será possível aprovar o relatório até quinta-feira (18). Para que o projeto seja votado, será necessária a votação da Medida Provisória (MP) 670, que corrige a tabela do Imposto de Renda de Pessoa Física e a retirada pelo governo das urgências constitucionais dos projetos do pacote anticorrupção.

“Vamos apresentar o texto para que os partidos tomem conhecimento e possam fazer suas avaliações, mas será dentro daquilo que estamos falando: serão quatro setores onde a desoneração não será completa, será parcial”, disse o relator. “O restante será como pretendido pelo Executivo dentro do princípio de se produzir um ajuste fiscal, acrescentou Picciani.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.