Tamanho do texto

Exportações superaram importações em US$ 349 milhões

 O saldo da balança comercial em 2015 reverteu o resultado negativo pela primeira vez e passou a registrar superávit. De acordo com números divulgados nesta segunda-feira (15) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, as exportações superaram as importações em US$ 349 milhões desde o início do ano.

Safra recorde de grãos e venda de plataforma foram os principais responsáveis pela virada
GBlakeley/Thinkstock
Safra recorde de grãos e venda de plataforma foram os principais responsáveis pela virada

A virada na balança teve relação direta com as transações da semana passada, quando o País exportou US$ 678 milhões a mais do que comprou do exterior. Antes disso, o indicador vinha registrando déficit, com o país importando US$ 329 milhões a mais do que exportando. No resultado parcial de junho, a balança acumula superávit de US$ 2,65 bilhões.

A reversão de resultados na balança comercial é atribuída, principalmente, a safra recorde de grãos, que impulsionou as exportações em junho. Nas duas primeiras semanas do mês, as vendas de produtos básicos subiram 18,7% em relação ao mesmo período de maio pela média diária.

Leia também: Diretor do Banco Central diz que inflação deve ficar em 4,5% em 2016

Outro fator foi a venda de uma plataforma de petróleo de US$ 690 milhões. A embarcação não chegou a deixar o país, mas a operação foi registrada como exportação porque a plataforma foi comprada por uma subsidiária da Petrobras no exterior e alugada ao Brasil. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, esse tipo de transação está dentro das normas internacionais de contabilidade.

No acumulado do ano, as exportações estão caindo menos que as importações. Até a segunda semana de junho, o país vendeu US$ 83,950 bilhões ao exterior, com queda de 14,6% pela média diária em relação ao mesmo período de 2014. Afetadas pela alta do dólar, as compras externas somaram US$ 83,601 bilhões, retração de 17,7% na mesma comparação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.