Tamanho do texto

Bolas, camisetas e até remédios piratas serão descartados

Funcionário despeja bolas falsificadas que seriam destruídas pela Receita Federal, no Rio
Tânia Rego/Agência Brasil - 2.6.15
Funcionário despeja bolas falsificadas que seriam destruídas pela Receita Federal, no Rio

Casacos, camisas e bolas falsificadas de marcas famosas foram destruídas nesta terça-feira (2) no depósito da  Receita Federal no Rio. A maioria das peças apreendidas no último ano foi importada da China e chegou à cidade pelo porto.

A ação faz parte do 15º Mutirão Nacional de Destruição de Mercadorias, que descartará 3,7 mil toneladas de produtos ilegais em vários estados. Foram destruídos também cigarros, bebidas e medicamentos falsificados, entre outros produtos que não atendem às normas da vigilância sanitária ou de segurança.

Leia também:

- Confira se você tem pendências no CPF

- Aplicativo da Receita permite consulta do CPF no Android e no iPhone

No Rio, foram inutilizadas 312 toneladas de mercadorias. Hoje, as embalagens das roupas foram separadas para reciclagem e os itens, triturados em um aparelho do tamanho de uma caçamba, no depósito da Receita, em Benfica.

Representantes das marcas falsificadas, presentes no local, que preferiram não se identificar, explicaram que as peças originais têm etiquetas específicas que conferem autenticidade aos produtos.

O subsecretário de Gestão Corporativa da Receita, Marcelo de Melo Souza, explicou que, apesar de o vestuário apreendido estar em boas condições, desrespeita legislação de direitos autorais. No caso das bolas, informou tratar-se de importação irregular.

“Um dos motivos de apreensão, às vezes, não é a qualidade do produto em si, mas o procedimento da importação que favorece à sonegação de impostos ou não permite  identificar a procedência”, esclareceu.

Dudalina gasta R$ 1,2 milhão contra produtos piratas; veja fotos


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.