Tamanho do texto

Ministro da Secom, Edinho Silva, disse que após a votação das propostas de ajuste no Congresso, o governo terá como gerar condições para o crescimento da economia

 O ministro da Secretaria de Comunicação, Edinho Silva, adotou um tom de otimismo em relação ao futuro próximo, ao comentar a queda de 1,6% do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. Para o ministro, o governo aposta que, superada a fase de votação das medidas do ajuste fiscal, a economia voltará a crescer no segundo semestre.

“Este resultado do PIB era natural que fosse este. É normal, ou seja, está dentro da normalidade, mas nós temos absoluta certeza que, a partir das medidas tomadas, do ajuste feito, no segundo semestre as condições serão criadas para que a gente possa retomar o crescimento de forma sustentável”, disse o ministro, ao deixar a reunião da coordenação política, nesta segunda-feira (1). 

Leia mais:

PIB do Brasil pode crescer '7 vezes' com boa educação para todos, diz OCDE

Mercado prevê Selic a 13,25% e queda de 1% do PIB

Ministro da Secretaria de Comunicação, Edinho Silva, adotou um tom de otimismo em relação ao futuro próximo
ESTADÃO CONTEÚDO
Ministro da Secretaria de Comunicação, Edinho Silva, adotou um tom de otimismo em relação ao futuro próximo

Em relação ao semestre anterior, ou seja, ao quarto semestre de 2014, a retração do PIB foi de 0,2%. Os dados foram divulgados na última sexta-feira, (29) pelo Instituto Brasileiros de Geografia e Estatística (IBGE). 

Nesta semana, a presidente Dilma Rousseff dará a largada em uma série de lançamentos de planos com o objetivo de melhorar a imagem do governo e também de dar uma certo dinamismo aos investimentos.  

Veja também: resultado do PIB reflete incertezas, diz Levy

O primeiro lançamento será do Plano Safra. Dilma ainda lançará neste mês, o programa de concessões, uma terceira etapa do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida e outro pacote para facilitar as exportações. Além disso, o governo aguarda o lançamento do plano de investimentos da Petrobras como uma forma de dar impulso à recuperação da estatal.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.