Tamanho do texto

Ministro da Fazenda mostrou preocupação sobre mudanças no fator previdenciário; alterações ainda têm passar pelo Senado

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy , pediu nesta quinta-feira (14) para que os congressistas tomem cuidado para que não aprovem medidas, como a que altera o fator previdenciário, que podem criar a necessidade de novos impostos. Segundo o ministro, o tema deve ser discutido em profundidade com base em números e nos impactos que deverá causar.

O ministro Levy alertou para que o Congresso tenha cautela e avalie risco de criar tributos
Ryan Rayburn/FMI
O ministro Levy alertou para que o Congresso tenha cautela e avalie risco de criar tributos

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, diz que mudanças no fator previdenciário ainda dependem do Senado. “Tem muita gente que diz que a retirada do fator previdenciário vai aumentar as despesas, portanto vai aumentar os impostos. E as pessoas têm de ter muito cuidado para quando votarem não criarem uma nova necessidade de mais impostos”, disse Levy, após participar da Cúpula Global das Mulheres, em São Paulo.

Levy ressaltou que o fator previdenciário "não acabou", tem funcionado muito bem no País até o momento, e que a decisão do Congresso sobre o tema ainda depende do Senado. “Temos um sistema bicameral. Nesse sistema, o Senado revê as medidas, exatamente se há uma necessidade de ter equilíbrio ou não. A gente não deve se pronunciar antes de o Senado também fazer a avaliação dele, até pela questão que foi levantada aqui, da necessidade de aumentar impostos, dependendo do que venha a ser decidido”, disse.

Leia também:

Para evitar derrota, Levy cogita ceder mais ao Congresso

Cinco argumentos de Levy para "vender o Brasil" a investidores em Londres


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.