Tamanho do texto

Dados do primeiro trimestre mostram que os empréstimos caíram 24% na comparação com o mesmo período de 2014

Desaceleração da economia refletiu na procura por crédito no banco
Divulgação
Desaceleração da economia refletiu na procura por crédito no banco

Os desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) caíram 24% no primeiro trimestre deste ano, em relação a igual período do ano passado, totalizando R$ 33,3 bilhões. A mesma tendência de queda foi observada nas consultas por financiamentos (-47%) e na aprovação de projetos (-46%). Os números foram divulgados hoje (14) pelo banco, que atribuiu boa parte dos resultados aos ajustes feitos na nova política operacional da instituição.

Segundo a assessoria de imprensa do BNDES, esses ajustes permitiram a redução da participação máxima na Taxa de Juros de Longo Prazo (TJPL), hoje da ordem de 6% ao ano, visando a ampliar a presença do mercado de capitais nos financiamentos de longo prazo ao setor produtivo. O último ajuste com essa finalidade havia sido feito em dezembro de 2014.

Outro fator que contribuiu para a redução dos recursos liberados nos três primeiros meses do ano foi a revisão do Programa de Sustentação do Investimento (BNDES PSI), que financia bens de capital com taxa fixa.

Os desembolsos para projetos do programa tiveram retração de 18%. Apesar disso, o banco considerou o desempenho dentro do esperado. Em contrapartida, o desembolso por meio do Cartão BNDES – para aquisição de máquinas e equipamentos no portal eletrônico do banco, pelas micro, pequenas e médias empresas, cresceu 16%, alcançando em torno de R$ 2,8 bilhões.

As liberações para inovação foram outro destaque, com alta de 9% no trimestre, atingindo R$ 1 bilhão. Do total desembolsado no acumulado de janeiro a março deste ano, a maior parcela, equivalente a R$ 11,7 bilhões, foi destinada à área de infraestrutura. Em seguida, vêm a indústria (R$ 10,4 bilhões), comércio e serviços (R$ 7,6 bilhões) e agricultura (R$ 3,5 bilhões).

Leia também:

Plenário aprova texto de MP que aumenta recursos do BNDES em R$ 50 bilhões

O capitalismo de Estado 'à brasileira' fracassou?

Para essas áreas, os recursos sofreram redução de, respectivamente, 25%, 17%, 34% e 13%, de acordo com o boletim de desempenho do banco.

Para as micro, pequenas e médias empresas, os desembolsos no primeiro trimestre somaram R$ 10,2 bilhões, com participação de 30,8% no total de recursos liberados no período. Mesmo assim, houve redução em comparação ao total liberado para o segmento no primeiro trimestre de 2014, R$ 15,2 bilhões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.