Tamanho do texto

A 2ª colocação ficou com o Bradesco, seguido pelo Santander

O HSBC liderou o ranking de reclamações do Banco Central (BC) em março, segundo levantamento divulgado hoje (15) pelo Banco Central (BC). A segunda colocação ficou com o Bradesco, seguido pelo Santander. O BC levou em consideração as instituições financeiras com mais de 2 milhões de clientes.

De acordo com os dados, o HSBC, com 10,27 milhões de clientes, recebeu 98 reclamações consideradas procedentes. Com isso, o  índice de reclamações pelo critério do BC ficou em 9,53%. A maioria das queixas dos clientes é sobre irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços.

Os correntistas reclamaram também de ofertas ou prestação de informações a respeito de produtos e serviços de forma inadequada.

Leia mais:  Cerca de 10,6 milhões de contribuintes entregaram declaração do Imposto de Renda

No caso do Bradesco, que tem 75,26 milhões de clientes, foram registradas 683 reclamações procedentes. O índice de reclamações ficou em 9,07. A principal queixa foi a recusa ou dificuldade de acesso aos canais de atendimento convencionais.

O  Santander, com 31,77 milhões de clientes, recebeu 282 reclamações procedentes, alcançando em março índice de reclamações de 8,87. A principal queixa foi débito em conta de depósito não autorizado pelo cliente.

A Caixa Econômica Federal, com 75,2 milhões de correntistas, ficou em quarto lugar no rankingdo BC. A Caixa registrou  657 queixas procedentes, com índice de  8,73, a maioria por “irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços”.

Em quinto lugar, ficou o Banco do Brasil, com índice de 6,02 e 334 registros de reclamações procedentes no período, gande parte motivada por débito de depósitos não autorizados. O banco estatal tem 55,4 milhões de clientes. 


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.