Tamanho do texto

Enquanto estão afastados, os metalúrgicos recebem salário integral, pago em parte pela GM e em parte pelo governo

A suspensão temporária do contrato de trabalho (layoff) de 819 metalúrgicos da General Motors (GM), que vencia hoje (9), foi prorrogada até 9 de julho, informou a empresa. Os trabalhadores estão afastados desde outubro do ano passado.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano do Sul, após o prazo limite, os funcionários poderiam ser reinseridos na empresa ou demitidos. A esperança do sindicato é que, após os três meses de prorrogação, a economia volte a crescer. e os trabalhadores sejam relocados  em seus cargos.

Leia mais:  Veja como a lei da terceirização vai mudar a vida do trabalhador

Enquanto estão afastados, informou o sindicato, os metalúrgicos recebem salário integral, pago em parte pela GM e em parte pelo governo federal, por meio do seguro-desemprego.

De acordo com o sindicato, 105 metalúrgicos que também tinham sido afastados em outubro, retornaram há dez dias.

Em nota, a GM informa que a prorrogação da suspensão temporária dos contratos de trabalho “tem como objetivo ajustar a produção à atual demanda do mercado”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.