Tamanho do texto

Manisfestantes pedem renovação da frota de caminhões no País, como forma de estimular a criação de empregos no setor, reduzir a poluição do ar e aumentar a segurança no trânsito

Metalúrgicos fazem uma manifestação nesta quinta-feira (2), desde as 10h, em frente à sede regional do Ministério da Fazenda, na capital paulista. Eles reivindicam a renovação da frota de caminhões no país, como forma de estimular a criação de empregos no setor, reduzir a poluição do ar e aumentar a segurança no trânsito das estradas brasileiras.

O secretário-geral da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da Central Única dos Trabalhadores (CUT), João Caires, disse que essa é uma pauta antiga da categoria. “Tem vários motoristas hoje no Brasil que andam com caminhões com mais de 30 anos, o que gera problema no trânsito, na fluidez. Muitas vezes, a gente vê que o trânsito está parado nas cidades por causa desses caminhões quebrados.”

Caires conta que um projeto foi encaminhado ao governo federal propondo novas formas de financiamento para contemplar de caminhoneiros individuais a grandes transportadoras e estimular a renovação da frota.

Para Caires, esse incentivo poderia estimular a geração de empregos. “O setor de caminhões está passando por um momento difícil, porque houve aumento na taxa do Finame [Financiamento de Máquinas e Equipamentos], e não se compra caminhão se não tiver uma taxa de financiamento agressiva.”

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense (RJ), Sílvio Campos, diz que o setor em sua região passa por dificuldades. “Lá, a gente está passando por problemas sérios, tanto na fábrica de caminhõe e, ônibus quanto na de [outros tipos de] veículos. Uma complexidade de coisas ocorre neste momento, e só a renovação da frota pode manter os empregos. Não só lá, mas no país todo”, afirmou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.