Tamanho do texto

Eike e suas dívidas megalomaníacas, Lemann e suas marcas famosas, Petrobras e suas perdas e megaempreiteiras e seus executivos presos estão entre os nomes que marcaram o ano

O Brasil começou em 2014 com um ministro da Fazenda e terminou com dois, executivos de megaempreiteiras tiveram de dormir em colchões no chão da carceragem da Polícia Federal e a maior oferta inicial de ações da história nos Estados Unidos veio da China.

Veja quais foram os principais personagens da Economia em 2014:

Guido Mantega
O ministro da Fazenda mais longevo da República - com 3.189 dias ininterruptos no cargo até sexta-feira (19), ou quase nove anos - passou os últimos três meses na condição de demissionário: Dilma mandou Guido Mantega passar no RH do Palácio do Planalto ainda durante a campanha eleição - "governo novo, equipe nova", disse a presidente em setembro. Há rumores de que ele não retornará a São Paulo, pois será indicado a outro cargo público.

Joaquim Levy
A propaganda eleitoral de Dilma acusou os banqueiros de estarem só esperando Aécio Neves ganhar para começar a tirar a comida da mesa dos pobres. Vencida a eleição, entretanto, a presidente foi buscar seu novo ministro da Fazenda no Bradesco, o segundo maior banco privado do País (em volume de ativos), onde Levy era o chefe do braço de gestão de recursos da instituição. 

Eike Batista
Se você tiver de apertar o orçamento em 2015, lembre-se de um nome: Eike Batista. O empresário entrou em 2014 com uma dívida de U$ 4 bilhões (R$ 11 bilhões), segundo a Bloomberg e tem contra si uma ordem de bloqueio de ativos de até R$ 1,5 bilhão, expedida pela Justiça Federal, além de um pedido de multa de R$ 26,1 milhões, feito pelo Ministério Público Federal.

3G Capital
Donos da primeira, da terceira e da sétima fortunas do Brasil segundo a Forbes, Jorge Paulo Lemann e seus sócios Marcelo Telles e Carlos Alberto Sicupira continuaram a expandir a carteira da 3G Capital com marcas globalmente conhecidas. Em 2014, compraram a cadeia de fast food Burger King. Em 2013, ele já haviam adquirido a Heinz, do catchup homônimo. A Coca-Cola, segundo rumores, está na mira.

Moise Safra
O co-fundador do Banco Safra 23ª pessoa mais rica do Brasil morreu em junho, em São Paulo, aos 79 anos. No ano anterior, havia comprado, em conjunto com a bilionária chinesa Zhang Xin, de 40% do prédio da sede da General Motors em Manhattan, Nova York. Nascido no Líbano, Moise chegou ao Brasil na década de 1950 com o pai, Jacob. Em 2006, vendeu sua parte no Banco Safra - então o 10º maior do País - ao irmão Joseph.

Petrobras
Desde meados do ano, a Petrobras entrou numa queda praticamente livre. No último dia 15, seu valor de mercado era de R$ 115 bilhões - recuo de 47% ante os R$ 215 bilhões de 31 de dezembro de 2013, segundo a Economatica. Em parte, a queda é fruto da fuga de investidores após as acusações de corrupção investigadas pela Operação Lava Jato - de sobrefaturamento de contratos -, e da queda do preço do petróleo

Megaconstrutoras
Em outubro, executivos de gigantes como Camargo Corrêa, OAS e Queiroz Galvão foram presos em meio às investigações da Operação Lava Jato. Ao todo, o Ministério Público Federal denunciou 16 empresas acusadas de formar cartel nas contratações com a  Petrobras. Integram, ainda, o clube: Odebrecht, UTC, Techint, Andrade Gutierrez, Mendes
Júnior, Promon, MPE, Setal-SOG, Skanska, Iesa Engevix, GDK e Galvão Engenharia

JBS
A dona da marca Friboi colecionou acusações de irregularidades trabalhistas: um frigorífico no Rio Grande do Sul foi interditado pois oferecia risco de amputação. Em Mato Grosso, a empresa foi condenada por servir carne - sim, carne - estragada aos funcionários e por expô-los a frio excessivo. A JBS também responde judicialmente por exigir o cumprimento de jornadas de trabalho acima do limite legal e por demitir grevistas.

Jack Ma
Por trás da maior oferta inicial de ações da História, de US$ 25 bilhões (R$ 67 bilhões) está um chinês, ex-professor de inglês que nada entende de computador. Jack Ma, fundador da varejista online Alibaba, é hoje o homem mais rico da China, com uma fortuna estimada em US$ 19,5 bilhões (R$ 52 bilhões). Recentemente, escreveu em um testemunho em que declara culpados aqueles que chegam aos 30 anos sem serem ricos.

Richard Branson
O bilionário britânico termina o ano em baixa após sua espaçonave SpaceShipTwo explodir durante um voo de tetes nos Estados Unidos - um piloto morreu e o outro ficou seriamente ferido. Com o acidente, Branson fica mais longe de conseguir fazer a Virgin Galactic se tornar a primeira companhia a oferecer comercialmente voos suborbitais. Angelina Jolie e Lady Gaga, que estão entre os primeiros da fila, terão de aguardar.