Tamanho do texto

Segundo Iata, estimativas de melhoras econômicas de países deve elevar o lucro das companhias aéreas para US$ 25 bilhões no próximo ano, com aumento da margem de 3,2%

Os preços de combustível em queda e um crescimento econômico mais forte significam que companhias aéreas globais vão registrar suas margens de lucros mais fortes em mais que cinco anos em 2015, disse a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês).

A associação baseada em Genebra, que representa cerca de 250 companhias aéreas que são responsáveis por 84% por cento do tráfego aéreo, disse que o lucro líquido vai subir para US$ 25 bilhões em 2015, resultado numa margem de lucro de 3,2%.

A última vez que a indústria teve margens quase tão altas foi em 2010, quando alcançou 3,1%.

"A perspectiva para a indústria está melhorando. A economia global continua a se recuperar e a queda nos preços do petróleo devem fortalecer a retomada no ano que vem", disse o diretor-geral da Iata, Tony Tyler.

No entanto, Tyler acrescentou uma nota de cautela. "Uma margem de lucro líquido de 3,2% não deixa muito espaço para uma deterioração do ambiente externo antes que os lucros sejam impactados", disse.

A Iata também elevou sua projeção de lucro para 2014 para US$ 19,9 bilhões, ante estimativa anterior de US$ 18 bilhões.

Os gastos de companhias aéreas com combustível vão cair para US$ 192 bilhões em 2015, ante projetados US$ 204 bilhões neste ano, segundo a Iata.